24 de abr de 2011

05 bandas “indie”

especial musik (nunk excl);jpglista musik I primeira

Hoje em dia, ser indie é ser pop. Ou quase. Ao mesmo tempo que os anos 1990 revelaram o cinema independente ao mundo (em grande parte por culpa de Quentin Tarantino e Steven Soderbergh), a década que antecedeu nosso século também marcou a ascenção do underground musical para o status de mainstream do mercado. Primeiro, é claro, foi o rock. O Nirvana não era exatamente o tipo de banda que se esperava fazer sucesso mundial, mas fez. Smashing Pumpkins, Pixies, Blur… Quanto menos a música parecia fazer sentido numa parada de sucesso, mais ela parecia ficar por lá. Até que virou hábito, é claro. Hoje temos o The Killers, o Strokes, o Kooks, que não são mais considerados indie nem mesmo quando estão surgindo. Mas com o pop é outra história. Foi só nos anos 2000 que mexer com a cultura pop sem soar convencionalmente pop deixou de ser um tabu. O resultado? Bom, cinco deles estão aí embaixo, para o desfrute do leitor. Bom proveito!

indie 05 

5º lugar – One EskimO

Sim, eles são uma banda de desenho animado. Mas não embarque na onda dos únicos ingleses da nossa lista esperando o escapismo pop do Gorillaz. Na ativa desde 2004, o quarteto de músicas bem soft lançou o álbum de estréia somente em 2009, ganhando visibilidade no ano passado ao se apresentarem no programa de Ellen DeGeneres na TV americana. Visibilidade em termos, ao menos o bastante para tornar a linda “Kandi” e seu clipe “fofo” em sensação indie do momento. O álbum de estreia auto-intitulado prova que eles estão aí para ficar, e a série animada que se atrela a cada uma das canções, contando uma história, é uma delícia de se acompanhar.

Indie de coração: “You have been my queen for longer than you know/ My love for you has been/ Every step I take/ Everyday I live/ Everything I see” (Kandi)

indie 04

  4º lugar – Hockey

Eles foram comparados aos Strokes, ao Arctic Monkeys, ao LCD Soundsystem. Mas, hoje em dia, quem não é? Ouvir o primeiro álbum dos americanos de Oregon, intitulado Mind Chaos, é tirar a prova de que o Hockey é uma banda com personalidade própria e até mais intrincada no espírito indie do que os atos aos quais foram equiparados. O single “Too Fake” não subiu nas paradas, mas fez barulho entre os especialistas, que em 2009, ano do lançamento do álbum de estreia, elegeram os rapazes do Hockey entre os “50 artistas emergentes” do ano. Desde então, a banda perdeu um integrante e não deu nem pista de um novo álbum. É esperar para ver.

 Indie de coração: “Look out!/ I’m just too fake for the world/ I know it’s just a game to me/ I’m just too fake, you see?/ I wish I didn’t have to be” (Too Fake)

3º lugar – OK GO

O nome pode não ser familiar, mas esse vídeo é. Em meados de 2006, o  clipe simples, engenhoso e bem-ensaiado de “Here it Goes Again”, o segundo single do segundo álbum da banda indie-rock de Chicago, Oh No, virou mania global. E deu uma boa impulsionada nas vendas do grupo, ainda que poucas canções fossem tão acessíveis quanto a que embalou a dança das esteiras. De uma forma ou de outra, a banda é um one-hit wonder que continua produzindo música indie, e em abundância. Ainda que irregular, o último álbum, Of The Blue Color of The Sky saiu no ano passado. E dele foi tirada "This Too Shall Pass", dona de mais um clipe divertidíssimo dos roqueiros.

Indie de coração: “You can’t stop these kids from dancin’/ Why would you want to? (…) Let it go, this too shall pass” (This Too Shall Pass)

indie 03

2º lugar – She & Him

Ela é provavelmente a mulher mais adorável do showbusiness moderno. Ele é cantor, produtor, intrumentista e compositor, um dos nomes mais proeminentes do folk em atividade. M. Ward e Zooey Deschanel são uma dupla e tanto nos dois “Volumes” do She & Him, o projeto indie mais comentado do momento. Repletos de canções de clima antiquado que casam perfeitamente com a voz doce e cristalina de Zooey, mais as letras adoravelmente romântico-melancólicas, o Volume One e o Volume Two do She & Him são álbuns deliciosos de se ouvir, a encarnação indie perfeita da contradição característica do pop de hoje, entre o moderno e o analógico.

Indie de coração: “Oh, you treat me badly/ I love you madly/ You really got a hold on me” (You Really Got a Hold on Me)

postal

1º lugar – The Postal Service

Vocalista e guitarrista da igualmente indie Death Cab for Cutie, Ben Gibbard proveu os vocais para canções do artista de música eletrônica Dntel, pseudônimo de Jimmy Scott Tamborello, em 2001. Era o destino agindo a favor da música. E foi preciso só um álbum, o Give Up de 2003, para o projeto conjunto dos dois, o Postal Service, se tornar a grande sensação indie do nosso século e fazer a cabeça dos jovens ianques com temas românticos e combinação perfeita entre a alma calorosa do indie e o som artificial da eletrônica. O single “Such Great Heights” foi agraciado com uma dezena de covers e, recentemente, listado entre as canções emblemáticas do nosso século.

Indie de coração: “I want so badly to believe that there’s truth, that love is real/ And I want life in every word to the extent that it’s absurd” (Clark Gable)

indie 06indie 07

Ooh, I’ll be the one who’ll break my heart/ I’ll be the one to hope come/ I love you more/ I love you more/ I don’t know what I knew before/ But now I know I want to win the war

(Feist em “I Feel It All”)

I’ll watch the night turn light blue/ But it’s not the same without you/ Because it takes two to whisper quietly/ The silence isn’t so bad/ ‘Till I look at my hands and feel sad/ ‘Cause the spaces between my fingers are right where yours fit perfectly”

(Owl City em “Vanilla Twilight”)

3 comentários:

Fabioc disse...

Baita post Caio! Eu adoro o estilo Indie, mas ultimamente tenho pouco tempo para conhecer novas bandas, ou para futricar sobre bandas distantes.

Dica: inserir links de 3 músicas de cada banda no youtube!

bones disse...

Gente, você realmente ama música, não é?
Destes só vi a Zoey cantando e nem sabia que era um duo.
Não sou dessas pessoas que se fixam num tipo de musica e diz que gosta daquilo e só daquilo. Gosto do que me agrada, enjôo, gosto de novo, já gostei de Barão vermelho e de chimarruts, de madonna e britney, de barbra e sinatra, vá entender.
No momento gosto de Gaga e rihanna,amanhã tudo pode mudar...
estou caçando clips dos seus indicados, quem sabe não entram para meu rol.
Abraços.
PS.:Lady Gaga na Elen quinta feira e o TVU fecha a CW. é a lei de murphy atuando.

Renan Barreto disse...

Caio, meu amigo. Eu adoro Indie e vou procurar esses caras que eu não conhecia. Eu sou é apaixonado por Beirut. Acho um som tão cigano, tão caótico e ao mesmo tempo harmonioso. Estranho falar assim, né? Mas eles são paradoxais mesmo. Eu acho todas as canções deles lindas. Eu adoraria entender de música como você entende. Só sei fazer resenha de trilha sonora de games porque tenho repertório pra isso. Quem dera se eu tivesse todo repertório que vc tem com a sua idade.

Grande abraço!!!

Fiz o blog para o meu livro novo e lá tem o primeiro capítulo. Ele era um roteiro que transformei em livro. Vc vai perceber que ele é muito mais filme do que livro rsrs

Endereço: projetolabirintho blogspot com