31 de mar de 2012

O novo Anagrama. De novo.

O Anagrama2

O Anagrama mudou. A partir de amanhã, 1º de Abril (e não é mentira! – ok, péssima piada), o blog vai assumir uma cara um pouco mais informativa, sem jogar para escanteio a opinião, que sempre foi a assinatura do que é postado por aqui. A intenção é se tornar mais do que um espaço para jogar textos e pensamentos sobre os assuntos que o blog almeja cobrir (ainda que, é claro, O Anagrama não vá se tornar um ser “impensante”).

Informação, em tempos pós-modernos (ou pós-tudo, como nominou algum autor cujo nome me foge a memória), tem que ser quase instantânea sem perder a qualidade e a colocação de quem a transmite. Esse é o novo objetivo d’O Anagrama: acompanhar o que há de mais novo surgindo em música, cinema, arte, cultura, comportamento, política, literatura, moda e o que mais saltar aos olhos deste que vos fala e da incrível equipe que eu tenho o orgulho de reunir aqui.

A partir do mês que vem, eles todos terão data marcada para aparecer por aqui. Entre vários dos velhos conhecidos de quem acompanha o blog, tem também gente nova escrevendo para O Anagrama. Para leitores novos (torcendo para que sejam muitos), então, vamos apresentar todo mundo:

◘ O mês abre (todo dia 1) com o iJunior e sua coluna que antes figurava na Semana de Opinião do blog. Para quem não conhece o estilo dele, dá uma olhada nesse texto (meu preferido pessoal). Sempre insights muito podersosos e reflexivos. Ele ainda volta no dia 17 com textos dedicados as artes (confiram o incrível trabalho dele em design digital).

Aliás, é crédito dele também o design novo do blog, esse banner lin-do que está aí em cima. Palmas, por favor.

Dia 3 aparece por aqui o Marcelo Antunes para adicionar uma  pitada de cotidiano, humor e cultura ao blog. Um dos parceiros de longuíssima data d’O Anagrama, dá para ter uma ideia do que ele vai trazer pro blog, agora como colunista, lendo o seu Diz Que Fui Por Aí.

◘ Estreando no dia 5, a Bruna Correia vai assinar uma coluna que mistura reflexão, crítica social e a sempre bem-vinda habilidade de contar histórias. Tão instigante quanto sugerem os texto dela no Disparidade, blog que mantem.

◘ A estreia da Raíssa Garcia vai ser no dia 7. Estudante de Jornalismo e apaixonada pela profissão, excelente gosto musical e muita coisa a dizer. Dêem uma olhada no Jornalista de Primeira Viagem para sentir o gostinho.

◘ O GuiAndroid assina dois textos por mês: dia 11 ele continua com sua coluna de moda, e dia 27 é a vez de ele entregar um artigo sobre TV e cinema. Uma passada no Gui Android Fashion World confirma o bom gosto do Gui no primeiro campo, e essa crítica publicada aqui mesmo no blog atesta que ele domina também o mundo cinematográfico.

Dia 13 é a vez da Bete Watanabe misturar fotografia, moda, música e cultura indie, dando dicas de coisas legais que estão acontecendo nesse mundo de hypes relativos e inusitados com o qual estamos lidando atualmente. Olha o portfólio recém-criado dela. E, claro o Tumblr.

◘ A coluna da Gabis Paganotto, já parte indissociável da identidade d’O Anagrama, aparece no dia 15. Se o leitor ainda não conhece a Gabis, dá uma olhada nesse artigo assinado por ela sobre o estilo da hypadíssima Marina & The Diamonds.

◘ A Bebé Ribeiro completa a faceta fashion d’O Anagrama aparecendo por aqui no dia 19 com seu estilo único de escrever sobre moda. Indicadíssimo ler esse artigo dela sobre o estilo da musa do pop com pitadas de R&B Pixie Lott e, claro, o blog da moça, o My Petit Closet.

Dia 23 é a vez do Luís Adriano Lima dar continuidade a coluna de literatura que ele começou por aqui com esse artigo. Ele é autor do Literatura e Cinema, blog mais do que recomendado para cinéfilos e devoradores de livros.

◘ E o mês fecha (todo dia 29) com a opinião sempre forte e bem colocada do Fabio Christofoli. Outro parceiro de longa data do blog, ele escreve também o brilhante blog Clube do Camaleão.

No meio dessas colunas, O Anagrama vai procurar sempre ser uma fonte precisa e eficiente de informação, curiosidade e opinião. O caminho da intenção mudou, mas a ideia continua a mesma: decifrar aos poucos, ainda que não totalmente, os campos indecifráveis da nossa vida.

Sejam, sempre, muito bem-vindos.
Caio Coletti

0 comentários: