26 de ago de 2012

Debate: Feminismo e exposição do corpo como forma de protesto.

fenen

por Luciana Lima
(Blog pessoal)

As ativistas alegam que ao mostrarem os seios estão dizendo aos homens que elas controlam a própria nudez, fato esse que gerou controvérsias e comentários de que isso seria apenas uma forma a mais de alimentar um mídia sexista. Entretanto, uma coisa é certa: o seio da mulher foi visto durante anos como símbolo de sexualidade, feminilidade e maternidade, tendo sido considerados por muitos até como algo sagrado. Elas estão pegando algo que sempre foi o ícone de mercantilização e exploração feminina e dando um outro sentido, de revolta e de emancipação.Até mesmo para a fundadora da principal revista feminista alemã Alice Schwarzer o movimento têm seu mérito: “O seio nu, que normalmente as transformaria em objeto, se tornou uma arma para elas. Elas o utilizam para chamar a atenção e enviar sua mensagem para os homens, o protesto delas contra a exposição das mulheres! Contra a prostituição! Contra o tráfico de mulheres! Eu acho isso uma coisa boa.”, escreveu Alice.

No Brasil, a cada 5 minutos uma mulher é espancada. A mídia faz de nós objetos que muitas vezes estão á bel-prazer dos homens, vide o comercial sexista da Nova Schin que causou burburinho nas redes sociais. O Estado ainda julga que sociedade tem direito de decidir sob a autonomia de nossos corpos, enfim, tudo isso compõe um quadro que nos mostra que a luta contra a mercantilização do corpo da mulher ainda está longe de acabar. Isso sem contar os eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas que estão se anunciando e que podem acabar se tornando um grande mercado de pessoas a céu aberto, o que reforçaria uma imagem das brasileiras, que no exterior é muitas vezes ligada á exploração e ao tráfico sexual.

O Neo-Feminismo, assim como o antigo feminismo, têm que ser usado como meio de discutir essa série de questões que muitas vezes se encontram abafadas pelo conservadorismo social e midiático. No mínimo, chamar a atenção pra nós mulheres e para os nossos problemas é um alvo que a Femen vêm acertando, e muito bem

CONTRAPONTO
por iJunior
(TwitterTumblr)

Que o feminismo existe todo mundo sabe, e que ele trouxe muito para diversas mulheres de todos os lugares do mundo também, ainda mais em dias atuais onde até homens têm se dedicado às causas feministas (podemos ver como exemplo que uma boa quantidade de homens participaram da Marcha das Vadias desse ano) mostrando o quanto elas merecem seu espaço igualitariamente. Porém, em minha opinião, em alguns casos o feminismo extrapola um pouco em diversas questões. Conseguir seus direitos, manisfestar-se ou protestar é um direito de todos (pelo menos uma forma de tentar conseguir algo) mas a forma mais racional sempre deveria ser levada como primeira opção. Mostrar os seios como no caso da Banda Pussy Riot é algo que, pra mim, foge de diversos conceitos de como conseguir o que quer. A exposição do corpo nunca deveria ser  forma de protesto, pois se alguém quer mostrar que pode ser mais do que uma sociedade preconceituosa e moralista diz ser pode usar de meios mais racionais e menos imorais para isso. Inteligência e serenidade sempre são grandes armas, é como comparar alguém que grita e destrói tudo para conseguir algo com a pessoa que ouve sentada, só esperando o momento certo pra conversar e expor o que pensa, por mais que saiba bem que será dificil lidar com quem ouve. Eu posso até estar usando conceitos morais para avaliar o caso, mas na nossa sociedade é quase impossível quebrar a moral bruscamente, é como ir da água pro vinho e achar que ninguém vai notar. Quando sabemos que o meio não nos ouvirá, devemos pensar em qual é a melhor forma de se comunicar com ele.

E vocês, leitores, o que acham sobre a exposição do corpo como forma de protesto? Dêem sua opinião, deixem um comentário! O Anagrama quer ouvir vocês.

4 comentários:

Anônimo disse...

Toda forma de protesto é valida, e usar o corpo pra protestar é uma das melhores opções. Em uma sociedade como a nossa, Hipócrita, aonde o nu pra diversão é bem vindo, mas pra protestos é imoral, sujo, indecente. É como botar o dedo na ferida de uma sociedade hipócrita e incomodar muito.

Anônimo disse...

Meu( minha) caro(a),

Não tem como lutarmos contra nossa exploração sexual imitando a mídia que nos explora,reforçando o coneceito de mulher-objeto.Lembre-se que ao longo da História o homem sempre teve liberdade sexual e NUNCA se posicionou como um bem de consumo,mas sempre na posição de consumidor.Por que não nos auto titularmos sujeito da nossa sexualidade ao invés de reforçar o padrão "mulher bunda e peitos"? è um retrocesso sim,estas manifestações.

abraços,
maria

Laís Cenbrone disse...

Acredito que o Neo-feminismo não se trata de algo pejorativo ou mesmo apelativo; na minha opinião, mostrar o corpo é sim uma forma de protesto.É uma forma de protesto porque choca, porque faz as pessoas pararem e refletirem, causa estranhamento. Vivemos em uma sociedade extremamente moralista, que defende valores arcaicos e quer (tem) poder sobre nossos corpos, e isso é extremamente errado. Errado porque já chega de tanta hipocrisia, já chega de ver a mulher apenas como objeto e de não lhe dar seus devidos direitos. Violência não é normal: nem a física nem a verbal, do mesmo modo que não é normal não poder sair de casa com roupas ditas "provocantes" por medo da reação de ANIMAIS de mente limitada e instinto pré histórico. Sim, isso está errado, e se for preciso se manifestar de peito aberto, e se for preciso sobrepor sua voz para se fazer ouvir que façamos isso, que gritemos dizendo que estamos aqui e não gostamos nem um pouco deste modelo de 'vida' em sociedade, e muito menos de seus valores medievais.

comprar casa disse...

Lais... Concordo em parte. Mas faz-se mister salientar que "valores medievais" sõ existem porque é cultural e isso dita o que é moral é imoral. Vivemos em uma democracia, mas, entre várias opniões que se contrapõem que vença a maioria! Com isso quero dizer que, malgrado sejam válidas vários argumentos do movimento feministas que se legitimam, inclusive em direitos constitucionais ainda programáticos que ainda não se efetivaram, toda luta deve levar em conta várias prerrogativas que fortaleçam a ideia defendida. sair mostrando o corpo como forma de protesto deslegitima ao ponto que s desrespeita valores morais da maioria a quem se quer convencer, neste ponto, acredito não ser nem um pouco estratégico! Quanto ao argumento de que é um ato que ofende a sociedade por se arraigada de valores medievais, imagina se para todo o ato imoral houvesse essa justificativa? Poderíamos com isso defender, por exemplo, vários crimes contra a honra, posto que a hora despenda da cultura em que estamos inseridas!