7 de ago de 2012

Hit EnQuadrado: “Call Me Maybe”, Carly Rae Jepsen.

the big shots - carly rae jepsen - call me maybe

Vértice 1: As Influências

O teen pop orienta fortemente a construção de “Call Me Maybe” como canção. A história do gênero começou nos anos 60, com nomes como Paul Anka ("Diana"), Ricky Nelson ("It's Up to You") e Frankie Avalon ("Venus") provendo uma visão voltada para os adolescentes da tendência musical da época, em uma mistura de folk, country e estrutura pop em canções românticas e de melodia bastante característica.

Após a revolução da contra-cultura nos anos 70, foi preciso pouco mais de uma década para a música orientada ao público jovem retornar às paradas. O grupo porto-riquenho Menudo ("Hold Me" e, claro, a clássica "Não se Reprima") só alcançou alguma relevância em torno de 1984, trazendo a ideia de misturar a marca inocente das canções de vinte anos antes com os sintetizadores, batidas eletrônicas e riffs de guitarra da nova era. Com a explosão do grupo, que enfileirou sucessos cantados em espanhol, inglês e até português (e, não vamos nos esquecer, foi o responsável por lançar Ricky Martin ao estrelato), surgiram uma série de outros artistas que aperfeiçoaram a fórmula: o New Kids on The Block dominou as paradas americanas com "Step By Step", e o Take That (berço de Robbie Williams) não parou mais depois do sucesso de "It Only Takes a Minute".

Outro marco do teen pop veio nos anos 90: o lançamento de "Wannabe", das Spice Girls, em 1996, dando fôlego para a projeção de artistas como os Backstreet Boys (a clássica é "Everybody") e o *NSYNC ("Bye Bye Bye"), que acabou fazendo o nome de Justin Timberlake. No século XXI, o estilo tem sido associado as crias do Disney Channel, ainda que as carreiras de nomes como Miley Cyrus, Selena Gomez, Demi Lovato, Jonas Brothers e Ashley Tisdale sigam caminhos distintos demais para serem classificadas em um único gênero. Talvez seja possível associar o trabalho inicial de Justin Bieber ("Baby" é distintamente teen pop) ao rótulo, e também a explosão do One Direction ("What Makes You Beautiful"), que faz canções mais similares àquelas dos anos 60 com roupagem moderna. De muitas formas, no entanto, “Call Me Maybe” é a canção de teen pop mais distintamente pensada e trabalhada para indicar algum futuro ao gênero em muito tempo.

Vértice 2: A Canção

Descrita por absolutamente todos os críticos como a canção que vai dar um novo significado ao termo “grudento” na música pop, “Call Me Maybe” tem uma estrutura de acordes sutilmente bem arranjada na forma como se adapta para o pré-refrão e, quando as já célebres linhas do refrão iniciam, volta a sequencia reconhecida, mesmo que inconscientemente, pelo ouvinte nos versos iniciais. Escrita em Sol maior, o segundo tom mais popular da música pop (depois do Dó maior), a música pouco passa dos três minutos de duração. E acredite, é o bastante para deixar o refrão na sua cabeça pelo resto da vida. Na primeira audição.

Vértice 3: A Artista

Apesar do EP Curiosity, para o qual “Call Me Maybe” serve de primeiro single, ser nomeado em todos os lugares possíveis como a estreia de Carly Rae Jepsen, a verdade é que a moça está na ativa desde 2007, quando foi projetada pela edição canadense do Idol. No final de 2008 ela lançou Tug of War, o primeiro álbum, de sabor bem mais acústico e canções que remetiam a John Mayer, com a marca de uma artista que prometia frutos interessantes no futuro (o primeiro single do álbum é a deliciosa versão de "Sunshine on My Shoulders", originalmente gravada por John Denver).

Jepsen deve a ascenção ao estrelato fora de terras canadenses à Justin Bieber, que a trouxe para a School Boy Records, gravadora comandada por seu agente, Scooter Braun. Trabalhando com compositores como John Ramsay (vocalista da sempre surpreendente banda Marianas Trench – ouça "Desperate Measures"), Jepsen misturou seu estilo a influências do dance para a construção do EP, mas ainda tem créditos de composição em todas as canções. O novo álbum, provavelmente intitulado Kiss, sai no ano que vem.

Vértice 4: O Impacto

A canção ganhou destaque nas paradas canadenses antes de encontrar sucesso no panteão americano. Em 11 de Fevereiro desse ano, “Call Me Maybe” alcançou, após 17 semanas de escalada, o topo do Canadian Hot 100, igualando a artista a Avril Lavigne, Nelly Furtado, Nikki Yanofsky e K’Naan como a quinta artista canadense a alcançar o topo das paradas em seu país.

Após o lançamento do videoclipe no início de Março e a intensa promoção por parte de Bieber e Selena Gomez nas redes sociais, “Call Me Maybe” entrou na Billboard Hot 100 em 14 de Abril, alcançando o #1 pouco mais de dois meses depois, tornando Jepsen a primeira artista canadense a alcançar tal feito desde Avril e “Girlfriend”, em 2007. Atualmente, a canção está em sua oitava semana no topo da parada, e já vendeu quase 4 milhões e meio de downloads apenas em solo americano.

0 comentários: