1 de ago de 2012

Ímpar, par.

5505919430_8c0843fb6d_b

por iJunior
(TwitterTumblr)

Por que é tão dificil acreditar na individualidade das pessoas? E sim, é realmente dificil, e não digo só por mim, digo por você, digo por todos. Por todos que nunca se perguntaram sobre isso. Afinal, será que tudo tem, por obrigação, uma semelhança?

As pessoas sempre tiveram a necessidade de se sentir diferente das outras, pelo menos muitas delas sentem essa vontade, mas no final, o que faz com que isso seja tão importante?

Ao tentar se diferenciar, ter destaque, ser alguém com um próprio estilo, gosto ou desejos, muitas vezes você acaba se unindo a outras que pensam parecido, e no final acaba em um grupo, que já tira essa sua individualidade tão desejada. Mas no fundo todos gostam de estar em algo, em se sentirem semelhantes a outras pessoas diferentes, o que torna tudo um tanto contraditório. Mas isso é um tanto obvio, o fato é: por que isso é tão fundamental em nossas vidas?

Quantas vezes você já discutiu com alguém por uma comparação, as vezes boba, de um dos seus artistas preferidos? Quantas vezes já o compararam em voz, estilo, melodia? E no meio disso você já parou pra pensar no motivo da originalidade ser o maior ponto de medida em um artista atualmente? E o pior de tudo nem é isso, o pior é que nenhum deles conseguem essa originalidade vista pelos olhos de muitos.

Não estou atacando a comparação, acho ela fundamental para o desenvolvimento de tudo. Muito menos o exemplo. Mas sim como as pessoas procuram encaixar tudo a outros pontos, como se isso fosse altamente necessário.

Mas afinal, quem realmente é totalmente original hoje em dia? Ou um dia foi? Há que diga que astros como Madonna, Michael Jackson,  Marilyn Monroe, e artistas diversos, são os responsáveis pelo que existe hoje, ou ao menos pela inspiração, então, será mesmo que tudo simplesmente brotou deles sem uma inspiração anterior?

E no final nada disso vai importar. Comparar é algo natural humano. Mas a forma como isso é colocado na mesa é sua. Saber reconhecer semelhanças, boas e ruins, e ao mesmo tempo possuir um conceito ético e moral para tal julgamento é mais que humano. No fundo todos nós possuímos algo em comum com muita gente. E às vezes procuramos essa semelhança. Seja com um artista, um ídolo, um filósofo, um atleta, e etc, e esses são seus pais, seu(s) deus(es), seus ídolos e artistas preferidos, porque todos nós nascemos  do zero, e nos formamos graças a grandes influencias, mas isso nunca deveria ser visto como algo ruim, é belo como o ser humano é capaz de compartilhar a si mesmo, e na maioria das vezes de forma positiva.

Então evitemos o plágio, o ato e a acusação, julguemos antes cada um como unicos, pois por mais misturado que seja ou fortemente valorizado de características rebuscadas, todos somos únicos. Desde o DNA até a expressão, seja ela uma forma de arte ou um sorriso. Consideremos nossos heróis como bom exemplos a serem seguidos, e nunca vitimas de cópia. E saibamos apontar o que há de ruim em cada influência negativa, com intuito de apenas melhorar. Pois engrandecendo o bem feito de cada um, só ajudaremos este a crescer, e logo nos dar frutos mais "seus", porém nunca completamente originais. Pois nada se cria, tudo se transforma, e valorizar as minimas expressões e saber dar forças as mesmas será um grande empurrão para o surgimento de novos heróis, estes que, espero eu, nunca temam dizer quem foram as suas influencias.

7651694808_415342a641_b

iJunior escreve todo dia 01.

0 comentários: