11 de ago de 2012

Moda é arte?: Entrevista com o professor de arte João Luis Bizachi.

image

por GuiAndoid
(TwitterTumblr)

Por alguns dias estive com essa grande questão na minha mente, se moda é arte ou não. Alguns artigos que li pouco me ajudaram, assim como meus devaneios na vã tentativa de chegar a uma conclusão. Portanto, decidi pedir a opinião de alguém que entenda ou que esteja ligado a um desses dois pontos de alguma maneira, mas antes existia algo que percebi que tinha que descobrir para resolver minha questão principal. É a seguinte pergunta: “O que é arte?”. Logo, pedi ajuda de um dos meus professores do meu curso de Comunicação Visual, João Luis Bizachi.

Qual a definição de arte?

Olha, tem muitas definições, porque ela depende do contexto histórico, depende da técnica e da filosofia, mas acho que uma das definições mais próximas que a gente cita na arte, é que ela é um produto do conhecimento humano, da inteligência humana, mais ainda mais pelo valor da sua inutilidade. Porque a beleza no contexto grego não tem uma função prática. Então acho que é por isso que a moda não é considerada arte. Talvez a Alta-Costura seja considerada, pois ela é mais individualizada, agora tudo que é feito em larga escala perde o que nós chamamos de aura. A arte tem a capacidade trabalhar com o inútil. O que é o útil? O útil é a matemática, a engenharia,medicina. E o inútil? É o sonho, a imaginação, a criatividade.

E se o senhor tivesse que dar uma definição de opinião própria para arte?

Seria como inutilidade. Como você explica quando você chora? Chorar é um ato inútil mas extremamente necessário para aliviar a dor. Porém as lágrimas são completamente inúteis ao corpo. É a mesma história na arte, quando os seus sentimentos estão transbordando, é aí que você produz. Todo movimento de arte nasce de uma inconformidade do artista com a realidade, quando a realidade se torna muito chata ele inventa alguma coisa para se sentir capaz, isso é inútil.

E em relação a arte, o senhor acha que a Alta Costura é o vínculo mais próxima da arte na moda?

Sim, ela é modelada no corpo, tem a ver com escultura, tem a ver com padrões de simetria, tem a ver com conceitos ligados a arte. A moda industrial mexe com questões artísticas mas mil e duzentas peças iguais não podem ser consideradas arte. Elas tem um valor estético, tem imagem, padronagem, tendência, tem uma pesquisa, então ela entra na era da reprodutibilidade, a era da reprodução; tudo aquilo que se reproduz muito, perde a aura do objeto. O que é essa aura? A produção única, por exemplo Picasso só tem um quadro, não existe nenhum igual ao outro, Van Gogh não possui nenhum igual ao outro. A questão do único é um critério para se chamar algo de “arte”. A Arte Pop ela tenta fazer essa série, o Andy Warhol fez isso, cinquenta quadros da Marilyn, cada quadro era o rosto da Marilyn porém cada quadro tinha uma cor diferente, que ele imprimia de acordo com a vontade dele, então se você olhar tecnicamente, não são iguais, em um a boca está de uma cor, o cabelo de outra, uma sombra de outra e outro não tem sombra. Então a gente não pode analisar a partir da Arte Pop, pois até a Arte Pop tem as suas preocupação com a aura, com unicidade. Eu vejo a moda como um ramo da arte, uma das linguagens da arte, mas ela não pode ser chamada de arte.

Assim como vestidos são vendidos, quadros também são vendidos. Isso atrapalha no julgamento da arte, ser uma mercadoria?

Não porque isso não é novo, você vender um vestido a um preço astronômico vem desde a idade média, dos comerciantes florentinos, espanhóis, holandeses que tinham dinheiro e pagavam muito caro pela roupa, eles se diferenciavam do povo, da multidão. Como Luís XIV que usou salto, ou Luís XV que aprimorou isso, o sapato era costurado no pé. Então isso não afeta, pois as obras de outras épocas também eram vendidas a preços altos, só tinha acesso quem possuia dinheiro, o mundo sempre foi divido entre pobres e ricos. E a arte vai ao encontro disso, quem pode pagar mais, é um valor único. E sempre a arte esteve ligada a elite, ela sempre serviu a elite. Desde o conceito grego, o artista grego criava a arte para quem? Para os ricos, ele não fazia arte popular, isso é uma grande bobagem.

Após essa breve entrevista com meu professor, pude então esclarecer minha mente e resolver minhas questões sobre o que é arte e se a moda também pode ser considerada como tal. Mas fica a critério do leitor concordar ou discordar com a opinião dada, esta servindo apenas como base para reflexão e discussão desta grande questão. Moda é arte? Eu aprendi que não. E você?

GuiAndroid escreve nos dias 11 e 17.

0 comentários: