5 de ago de 2012

O caso da Dior.

01

por Isabela Bez
(TwitterTumblr)

Pesquise John Galliano no Google. Na primeira página, o link para o vídeo tão comentado no mundo da moda está lá. Depois de quinze anos sendo o diretor criativo da Dior, o famoso designer foi demitido da maison. O motivo? No começo do ano passado, surgiu um vídeo na internet de Galliano fazendo comentários racistas a um casal num restaurante em Paris.

Até aí, todos nós já sabemos. Mas o inesperado (ou não tão esperado) aconteceu. Bom, ainda não, mas pode acontecer.

Em julho desse ano, Galliano e Anna Wintour (editora-chefe da Vogue norte-americana) foram flagrados em um restaurante, após o primeiro desfile da Dior sem o comando criativo de Galliano depois de quinze anos. Então, boatos surgiram. Boatos inevitáveis sobre uma possível volta do icônico designer a Dior.

Quando Galliano foi demitido, o público esperou meses e meses para finalmente ficar sabendo que seu cargo seria preenchido por Raf Simons, que deixou a marca Jil Sander para comandar criativamente a Dior.

Assim, depois de (novamente) muito tempo esperando, nós pudemos finalmente conferir a primeira coleção de Raf Simons como diretor criativo da Dior. E o resultado? Minimalista. O designer mostrou o outro lado da grife, um lado que não se via desde Christian Dior.

02

Galliano foi sempre conhecido pela sua extravagância, e mantinha a grife no mesmo caminho. Já Simons teve a sua fama minimalista desde sempre. E foi assim também que ele comandou a mesma.

Alguns defensores de Galliano podem dizer que Raf Simons não fez um bom trabalho, e só tirou a grife dos trilhos. Mas a verdade é que ele fez um trabalho magnífico. Galliano gravou seu nome na Dior, mas Simons a trouxe de volta às suas raízes.

Dior nunca foi tão elegante, sofisticada e tão Dior quanto antes.

03

Talvez Simons tenha tentado não correr nenhum risco, e se manteve fiel ao que Christian Dior ditava. E há pessoas que acreditam que ele deve se esquecer de Christian Dior e Galliano, e se render ao que sua imaginação diz. “Ele entende a modernidade. Ele está na posição única de finalmente conseguir modernizar a alta-costura e se libertar dos infinitos círculos ancestrais que giraram por tanto tempo. Mas ele não irá conseguir se perder seu tempo simplesmente colocando sua opinião sobre o que Christian Dior e Galliano pensam. Ele precisa olhar para seu coração e mente, se lembrar do que o faz único e esquecer tudo sobre o que a Dior é” comentou Colin McDowell.

Infelizmente (talvez não para você), é provável que Galliano volte. Sim, infelizmente, já que após quinze anos, uma mudança foi definitivamente boa para a maison. Mas, quando você comanda ridiculamente bem uma grife que é tão prestigiada no mundo inteiro, você consequentemente ganha muitos seguidores. E eles não irão desistir de você por um comentário que foi solto quando estava bêbado.

E o que seria da moda se ela não ouvisse o público?

Sim, os dois últimos anos foram muito turbulentos para a maison, mas a marca que carrega o nome de Christian Dior parece não se abalar.

04

Isabela Bez escreve todos os dias 06 e 21.

0 comentários: