6 de set de 2012

Passion, de Brian DePalma, e mais novidades direto do Festival de Veneza.

brian-de-palma-passion-imageBrian DePalma (centro) dirige Rachel McAdams (esq) e Noomi Rapace (dir) em Passion.

por Caio Coletti
(TwitterTumblr)

Estreia hoje (dia 07), na seleção oficial do Festival de Veneza, o novo longa-metragem assinado por Brian DePalma, Passion. O novo filme do homem por trás de Scarface, Missão Impossível e Os Intocáveis resgata a obsessão do diretor pelo thriller erótico (ele fez um dos clássicos do gênero, Vestida para Matar, e ainda reincidiu no gênero em Dublê de Corpo), e pode resgatar também a popularidade de seu nome como uma grife do cinema depois do fracasso de Dália Negra, em 2006.

Passion é a refilmagem de um filme francês de 2010, que chegou ao Brasil com o título Crime de Amor, que conta a história de uma executiva poderosa, Christine (Kristin Scott Thomas no original, agora Rachel McAdams), que traz uma novata, Isabelle (Ludivine Sagnier na França, Noomi Rapace no filme de DePalma), como sua assistente e acaba passando as ideias da moça como suas. É o gatilho para Isabelle planejar mirabolante vingança contra a chefe e mentora. O filme estreia cercado pela polêmica do beijo entre Rachel e Noomi, já entregue no poster da produção.

Mas nem só de Brian DePalma e vingança misturada com paixão lésbica vive Veneza. O festival estreou em sua seleção oficial, no último sábado (dia 01), o novo filme de Paul Thomas Anderson, seu primeiro desde Sangue Negro, de 2007. A aplaudida exibição de The Master já aventou os nomes de Philip Seymour Hoffman e Joaquin Phoenix tanto como candidatos aos prêmios de atuação do festival quanto como apostas para o Oscar 2013. O filme, que tem também Amy Adams no elenco, conta a história de um veterano da Marinha (Phoenix) que retorna da guerra e encontraa apoio em um misterioso guru local (Hoffman).

Por fim, domingo último (dia 02) foi a vez da estreia de To The Wonder, nova produção de Terrence Malick. O diretor, que continuou seu regime de reclusão adotado desde o final da década de 1970 e não compareceu a primere, parece ter recuperado o ritmo de produção depois dos 20 anos de intervalo entre Dias de Paraíso (78) e Além da Linha Vermelha (98). Um ano depois da estreia do seu Árvore da Vida, aclamado como épico e experiência essencialmente pessoal, Malick conta a história de um homem (Ben Affleck) que faz laços com uma mulher (Rachel McAdams) depois de um divórcio traumático.

O Festival de Veneza entrega os prêmios de sua edição 2012 (a 69ª de sua história) amanhã (dia 08).

0 comentários: