9 de out de 2012

Review: Um passeio pelos labirintos da memória em “O Segredo dos Seus Olhos”.

el-secreto-de-sus-ojos

por Caio Coletti
(TwitterTumblr)

Há duas formas de assistir O Segredo dos Seus Olhos: a primeira é puramente como um thriller criminal, e já como tal, um dos melhores das últimas décadas, com uma trama bem amarrada, que guarda surpresas até o final; a segunda é como um exercício sobre o significado e os mecanismos da memória que usa esse pano de fundo – absolutamente bem tecido – como apoio para um passeio fascinante pela mente do protagonista. A obra de 2009 de Juan José Campanella (Clube da Lua, e vários episódios de House) não levou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro para a Argentina à toa: é absurdamente bem pensada e profundamente sensitiva na sua execução.

O roteiro de Campanella ao lado do autor da novela no qual ele se baseou, Eduardo Sacheri, combina sutileza notável ao lidar com os seus personagens e criatividade incansável para resolver os caminhos da trama prática. Aqui, acompanhamos Benjamín Esposito (Ricardo Darín), um conselheiro legal aposentado que olha para o seu passado e tenta destrinchar um dos casos mais marcantes de sua carreira. Com a ajuda da sua chefe à época – atualmente sua amiga – Irene (Soledad Villamil), que aos poucos se revela mais do que uma companheira de recordações, ele descobre que ainda há muito para ser revelado na história do estupro seguido de assassinato que ele investigou 25 anos atrás.

A cena brilhante de interrogatório que é um dos pontos cardeais do filme é um triunfo conjunto de Campanella, que comanda uma encenação conscientemente apoiada nas sutilezas das expressões dos personagens, do roteiro e dos atores. Ricardo Darín, talvez mais conhecido do público internacional por Nove Rainhas, faz as vezes de olhos da platéia nessa viagem detalhista. Ele diferencia com brilhantismo o Esposito de 25 anos atrás e o Esposito de hoje, ainda que adicionando a ambos a quantidade certa de doçura e amargura, e uma eterna energia propulsora. É um personagem apaixonante. Já Villamil é um poço de elegância e desenvoltura na pele da confiante e orgulhosa Irene. É um trabalho que realça mais a beleza do ser humano que retrata do que seus mais do que óbvios vícios.

O Segredo dos Seus Olhos é um filme que tem uma ótima história para contar, mas, num outro nível de interpretação, é também uma experiência reveladora sobre a forma como vemos o passado e, especialmente, o amor. Pense bem: a sua concepção de amor, a do grande amor da sua vida, é de uma expectativa não-realizada? O segredo por trás de um par de olhos que você nunca teve coragem de desvendar? Campanella nos diz: o tempo corre, meus caros, e é bom vocês correrem atrás dele.

**** (4/5)

e se

O Segredo dos Seus Olhos (El Secreto de Sus Ojos, Argentina/Espanha, 2009)
Direção: Juan José Campanella.
Roteiro: Juan José Campanella e Eduardo Sacheri, baseados em livro de Eduardo Sacheri.
Elenco: Ricardo Darín, Soledal Villamil, Javier Godino, Pablo Rago, Guillermo Francella.
129 minutos.

0 comentários: