12 de out de 2012

Top 05: Clipes com crianças.

jordy-hojeJordy Lemoine, sensação da década de 90, hoje com 24 anos.

por Caio Coletti
(TwitterTumblr)

Se você se lembra do moço na foto aí em cima pelo seu maior sucesso comercial, "Dur Dur D'Etre Bebe", parabéns: você não é mais criança. Já faz duas décadas desde o estouro de Jordy como cantor, no início dos anos 90, quando a referida canção alcançou o topo das paradas francesas (e brasileiras, coreanas e japonesas), e o garoto tinha seus tenros quatro anos e meio. Dois álbuns e muita polêmica quanto a exploração do garoto pelos pais depois, a música de Jordy foi banida pelo governo francês, os pais se separaram e, emancipado, ele hoje é parte da banda Jordy & The Dixies. Um final nada feliz, vamos concordar.

Já que colocar a criançada nos microfones não dá muito certo, melhor deixá-las em frente as câmeras. Seja para adicionar fofura, um aspecto lúdico ou endossar uma dura crítica ao sistema educacional, nos videoclipes elas são garantia de hit. Os cinco artistas listados abaixo, aliás, que o digam.

1ª posição – “Another Brick in The Wall” (Pink Floyd)

Rebelião! Destruir as salas de aula! Botar fogo na escola! Eu poderia dizer que o que o Pink Floyd fez com sua reconhecidíssima “Another Brick in The Wall” (e o ainda mais lendário clipe vinculado a ela) foi uma impiedosa crítica ao sistema educacional que prende e aliena as crianças, tornando-as marionetes sem escolha própria, para servir ao sistema. Mas a verdade é que o que Roger Waters e companhia realmente fizeram foi transformar em verdade o sonho de qualquer criança em idade escolar.

2ª posição – “No Rain” (Blind Melon)

Para o Blind Melon, o Paraíso é um lugar em que todos aceitam e entendem a nossa paixão. “No Rain”, o maior hit do grupo mais surf da era do grunge, tem o clipe mais fofo da nossa lista: uma garota gorduchinha gosta de sapatear usando uma fantasia de abelha. O problema é que ninguém realmente entende a graça da coisa toda. Enquanto o vocalista Roger Stevens canta em um descampado com seu look hippie, a garotinha vai procurando seu lugar até o encontrar. Final feliz, todos com expressão de “awn”.

3ª posição – “Kids” (MGMT)

Embora pareça feito sob medida para torturar (e não agradar) a criançada, “Kids” é um retrato lúdico, moderno e de certa forma delicioso da forma como o medo é parte primal da experiência da infância. Começando ostensivamente com uma frase Mark Twain e tecendo a partir dela (e da psicodélica animação que preenche o final do vídeo) toda uma crítica em torno do fato da sociedade assustar e pressionar os indivíduos desde a infância, o clipe é, em última instância, muito divertido. Como toda criança gosta.

4ª posição – “Who’s Laughing Now” (Jessie J)

Jessie J já te pediu pra jogar fora as etiquetas de preço, permanecer fiel a quem você é e reconhecer que ninguém é perfeito. Mas sua mensagem mais ressonante até agora é a da deliciosa “Who’s Laughing Now”, uma canção que Jessie define como “sobre operar uma mudança, e ser capaz de rir de si mesmo”. A cantora interpreta uma professora, uma faxineira e uma cozinheira enquanto a pequena Jessie da atriz mirim Adrianna Bertola dá uma bela lição nos bullies (e destrói a escola, é claro, no processo).

5ª posição – “My Doorbell” (The White Stripes)

Jack e Meg White não são exatamente o tipo de artistas que se imaginaria associados com o dia das crianças. Mas o duo que já colocou Kate Moss para fazer pole dance num vídeo para uma versão de “I Just Don’t Know What to Do With Myself”, hino gay gravado por Dusty Springfield, também tem seu lado fofo. Eles usam de todo o seu carisma e da batida e linha de piano deliciosas de “My Doorbell” para levar o público todo composto de pirralhos ao delírio.