30 de nov de 2012

Conhecendo a Equipe #4: Ícones de comportamento.

tina-fey

Pra quem não acompanhou o mês passado, a coluna Conhecendo a Equipe (de nome auto-explicativo, mas vamos re-explicá-lo) coloca todos os colunistas, colaboradores e construtores, enfim, todo mundo que faz O Anagrama, para responder uma mesma pergunta (que você, leitor, também pode responder nos comentários!).

Esse mês a gente quer saber quem são as pessoas de verdade que influenciam, inspiram e servem de ícones e exemplos para o pessoal da nossa equipe (ao contrário do mês passado, em que perguntamos quais personagens ficcionais traziam esse identificação). Sem mais demora, vamos ao que interessa:

Cite um ícone de comportamento: uma pessoa que te inspira, te serve como exemplo, e diga o porquê.

por Caio Coletti – editor
”Provavelmente haverá toda uma geração que vai olhar para Tina como sua referência de inspiração cômica”, “ela está na linha de frente da comédia atualmente”. As palavras, incluídas no vídeo acima, vem de Jon Hamm (dono de um Globo de Ouro por Mad Men) e Steve Carell (também vencedor do prêmio, por The Office) quando pedidos para falar sobre Tina Fey. Nascida em uma cidadezinha americana em 1970, a garota dos cabelos negros e “olhos de tubarão” se tornou uma referência no mundo cômico depois de entrar para a equipe de escritores e performers do Saturday Night Live em 1997 e escrever uma das comédias mais afiadas e lembradas do século XXI, Meninas Malvadas, em 2004. Daí para 30 Rock, que entra em sua sétima e última temporada este ano, foi um pulo. Contracenou com Carell no delicioso Uma Noite Fora de Série, e com Steve Martin no ótimo Uma Mãe Para o Meu Bebê.

Mas por que Tina é uma referência para mim, pergunta o leitor, se eu não escrevo comédia? Explico: eu sempre a vi, na verdade, como uma quebradora de regras. Sou sumariamente apaixonado por 30 Rock (e estou absolutamente arrasado com a notícia de seu encerramento) porque não é sua sitcom comum, nem mesmo sua comédia contemporânea cínica padrão. É uma mistura de humor cínico, humor físico, humor auto-depreciativo, comédia de costumes e buddy show, mas é, acima de qualquer coisa, humor inteligente. Inteligente na forma que usa auto-referência, cultura pop, desenvolvimento de personagem e simplesmente a força rítimica que impulsiona a narrativa, para fazer rir. E consegue. Tina fez algo que estava em falta na comédia atual: quebrou fórmulas. O resultado, como disse Carell, foi “estar na linha de frente da comédia”. E, mais do que isso, ser um dos nomes mais respeitados de Hollywood, e não por sua beleza, por seu parceiro fotogênico ou por seus números de bilheteria/audiência: simplesmente por ser, indiscutivel e indubitavelmente, genial.

por iJunior – designer - veja os textos dele aqui
Entre tantas midias atuais que acabam claramente nos influenciando, e de alguma forma nos construindo, seja por comportamento, idealizações ou estilo de vida, na minha opinião, a musica é a que mais influência. E eu tive a sorte de conhecer ao acaso uma das artistas mais magnificas da musica atual, e por consequência ela acabou se tornando um ícone pra mim, por tanta admiração e paixão que me ganhou. Falo de Jonna Lee, a cantora sueca das musicas calminhas, meio folk, até se envolver em um dos melhores projetos musicais (se não o melhor) que já conheci na vida. O iamamiwhoami. E por quê? porque a ousadia da artista pra enfrentar o anonimato afim de conseguir fazer sua arte sem tantos devaneios foi um dos pontos principais de tanta admiração.

Não bastando ter começado tudo no anonimato e ganhado reconhecimento com uma obra audiovisual completamente autosuficiente que levantou uma fanbase bem selecionada e dedicada, Jonna e sua equipe fez uma das obras artísticas mais magnificas que já vi. Estanhas até, destaco. Mas estranhas o suficiente para atingir o meu gosto em cheio, não apenas na musica como na arte. E acabou então por ser alguém ao qual eu admiro muito. Toda a subliminaridade do projeto aliada a um extremo bom gosto e forte levantamento cultural investido em uma arte é o que eu espero levar para os meus trabalhos, talvez não hoje mas um dia eu quero que seja assim aliado em um pensamento de criar uma arte pura sem pensar muito no externo e sim no que é meu e vem de mim.

por Andreas Liebertodo dia 05 e 20 – veja os textos dele aqui
e. e. cummings disse que “É preciso muita coragem para crescer e se tornar quem você realmente é”, e eu não poderia concordar mais; mas antes mesmo de encontrar toda essa coragem, é preciso uma dose maior ainda para descobrir quem somos. Poucos poetas do modernismo americano se aprofundaram tanto nas questões que compõem os acontecimentos da vida humana como Edward Estlin Cummings, mais conhecido pela abreviatura em minúsculas e. e. cummings (podendo ser grafado ainda como E. E. Cummings). Sendo um dos precursores da poesia concretista e um famoso utilizador de neologismo, cummings tem uma forte ligação com os estilos de avant-garde e uma sintaxe idiossincrática em seus poemas, embora grande parte de sua obra seja escrita em sonetos. Exposto a um ambiente mutável e moderno, sofreu grande controversia quanto ao seu estilo livre e até críticas ferrenhas em poesias em que usa palavras degradantes para designar os negros e judeus, embora tenha explicado que aquela não era sua visão pessoal, e sim uma crítica ao povo do próprio país.

cummings superou as barreias conservadoras da sociedade norte-americana da década de 30 e 40 e inspirou-se em renomados poetas modernistas como Gertrude Stein e Ezra Pound, utilizando também conceitos dadaístas e surrealistas para compor uma coleção impressionante de 2.900 poemas, dois livros autobiográficos e vários desenhos e ensaios retratando o amor, a natureza e a ligação do homem com o próprio mundo. Revolucionando a língua inglesa, cummings teve a coragem para se tornar quem ele sempre foi, um dos grandes nomes da literatura moderna, consagrando poemas como “i carry your heart with me(i carry it in” e “since feeling is first”.

i carry your heart with me(i carry it in, por e. e. cummings

i carry your heart with me(i carry it in 
my heart)i am never without it(anywhere 
i go you go,my dear;and whatever is done 
by only me is your doing,my darling) 
     i fear 
not fate(for you are my fate,my sweet)i want 
no world(for beautiful you are my world,my true) 
and it's you are whatever a moon has always meant 
and whatever a sun will always sing is you

here is the deepest secret nobody knows 
(here is the root of the root and the bud of the bud 
and the sky of the sky of a tree called life;which grows 
higher than soul can hope or mind can hide) 
and this is the wonder that's keeping the stars apart 
i carry your heart(i carry it in my heart)

por Isabela Bez – (todos os dias 06 e 21) - veja os textos dela aqui
Lady Gaga é uma pessoa tão óbvia para ser usada como ícone de comportamento hoje em dia. Mas não vi outra opção: ela é quem mais me inspira em termos de ser a pessoa que desejo ser e não ligar para o que os outros dizem. Talvez porque ela mesma tenha passado por tudo isso. Cinco anos atrás, Stefani era uma mulher comum. Pagava aluguel e cozinhava sua própria comida. E só depois de ouvir muito não e ser desencorajada por pessoas próximas em sua vida, ainda não desistiu e conseguiu realizar seu maior sonho.

Há tantas pessoas por aí passando por situações sociais frustrantes, e ela mais do que ninguém ajuda todos a acreditarem em si mesmos e nunca desistirem. E não importa quem você seja, não importa de onde você veio, não importa para onde deseja ir. Gaga tenta passar uma ideia de igualdade e diferença ao mesmo tempo, onde todos são diferentes, individualistas, e ao mesmo tempo são iguais, ninguém é melhor do que ninguém. Todos nós somos capazes. Ela usa sua vida como exemplo disso. E é assim que ela me inspira cada dia mais, querendo mostrar para o mundo que todos nós podemos atingir os desejos do nosso coração.

por GuiAndroid – (todo dia 11) - veja os textos dele aqui
É difícil, escolher um ícone de comportamento, porque são muitas as pessoas que me inspiram, mas os principais são dois, Coco Chanel e Elvis Presley. Coco porque ela sempre soube como agir e como subir na vida, desde o orfanato ela já sabia como ganhar seu dinheiro e sempre sonhava alto, com todas as respostas na ponta da língua e acima de tudo sua devoção ao trabalho é o que mais me inspira. Nunca se casou ou teve filhos, morreu em seu escritório, trabalhando, em um domingo, dia que detestava. Acho que a Coco é um modelo de comportamento eterno, ao analisar a vida dela, ela te ensina a nunca abaixar a cabeça para ninguém, te ensina que por pior que seja a sua situação, ninguém jamais vai ser melhor do que você.

O meu segundo ícone é o Elvis. Tenho um quadro dele emoldurado bem acima da cabeceira da minha cama, para sempre me lembrar do homem que apesar de sua fama, foi um bom homem, marido e pai. Elvis é para mim como um pai, onde eu busco carinho em suas letras, conforto em suas melodias e compreensão em seus discursos antes dos shows.

565523_4511877728822_735115036_npor Fernanda Martins – (todo dia 13) – veja os textos dela aqui
Aos que me conhecem, já aviso: serei previsível. Mas, tenho uma informação não conhecida por todos: não, eu não me inspiro na Katy Perry pelo fato dela ter composto “I kissed a girl”. Kathryn Elizabeth, mais conhecida como Katy Perry, nasceu no dia 25 outubro, o que faz de nós cúmplices do signo de Escorpião. Esse fato, é claro, vai da crença de cada um, mas, no meu caso, faz muito sentido, e temos, sim, um jeito muito parecido. A inspiração começa pelo fato dela ser considerada a “ovelha negra” da família. A verdade é: isso pode significar várias coisas, no caso, algo bom.

Ela tem um modo de viver muito festivo e muito positivo. Assim como eu, se despe de qualquer tipo de preconceitos e limites impostos por terceiros. A cantora, em sua fase de criança, levava as meninas de sua igreja para lugares escondidos e fazia piercing’s em suas orelhas. Claro, muito ousado isso para a realidade dela, entretanto, tive uma realidade parecida, não que tenha feito piercing’s nas garotas, mas participei, por conta de regras familiares, de ambientes religiosos que, na realidade, minha vontade era de sair gritando. No caso, ela saiu do ambiente religioso e permaneceu com uma fé que é só dela, e, assim como eu, não se limita a fazer certas coisas por regras. Ela escolheu uma maneira de viver que condiz ao que ela acha necessário para ser feliz, beijando ou não garotas, espirrando chantilly pelos seios e até ficando nua em uma nuvem de algodão doce. Algo mais inspirador que isso eu jamais encontrarei.

por Gabis Paganotto – (todo dia 15) - leia os textos dela aqui
Foi dificil escolher apenas um ícone que me influência. Muitas personalidades tiveram essa função na minha vida. Mas com certeza, quem vem a mais tempo fazendo isso, e com maior excelência é minha querida Miley Cyrus. Ela me inspira pois apesar da pouca idade Miley tem uma coisa que é quase ausente hoje em dia: PERSONALIDADE.

Miley, assim como eu, superou o bullying na adolescência, e apesar de todas as dificuldades que sofreu, hoje apoia todas as pessoas que sofrem com esse tipo de conflito. Além disso, com ela aprendi o autruismo. Ela pensa em quem precisa sem se importar com a opinião alheia, ela faz o que dá na telha, mas sempre pensando em quem ama, e em quem tem nela um modelo, como eu. Por isso Miley com certeza é minha inspiração, o lema dela assim como o meu é 'fazer o bem, sem ver a quem'.

por Bebé Ribeiro – (todo dia 19) - veja os textos dela aqui
Há vários clichês sobre esse assunto e a minha inspiração e exemplo acaba sendo um clichê pra quem é do mundo da moda, porém, a admiração que tenho por essa personalidade não é só apenas por seu estilo e elegância, mas também pela sua delicadeza, solidariedade e carinho. Estou falando de Audrey Kathleen Ruston, mais conhecida como Audrey Hepburn. Graças a seu talento e beleza simplória, a atriz e modelo conquistou o mundo em seu clássico tubinho preto vivendo a divertida e linda  Holly Golightly em Bonequinha de Luxo, o qual virará musical em 2013.

O que mais me encanta em Audrey é seu lado humanista: a atriz era  Embaixadora Especial para o Fundo UNICEF das Nações Unidas de Ajuda às Crianças, tendo participado de missões no Sudão, El Salvador, Somália, México, Equador, Venezuela, Vietnã, Tailândia e Etiópia. Além disso, Audrey possuia uma doçura e simplicidade que eram também marcas registradas. Em suas citações mais famosas, Audrey sempre ressaltava a importância da felicidade, de ajudar ao próximo, de aproveitar cada dia de nossa vida, mesmo que tenhamos momentos difíceis e de que a verdadeira beleza está no sorriso e nos atos de bondade.

por Marlon Rosa – (todo dia 04 e 16) - veja os textos dele aqui
Quando se trata de religião, política, existência ou não de espíritos e óvnis, qualquer discussão é passível de briga, desentendimentos e até intolerância, devido a uma palavra simples: crença. Questionar algo que alguém toma como verdadeiro é totalmente indelicado, eu sou do tipo que acredita em qualquer coisa (menos em gnomos) e por acreditar em qualquer coisa, eu aceito e respeito a crença de outras pessoas. Mas e quando essa crença não aceita alguém que você ama, por ele simplesmente amar alguém? Toda essa justificativa serve como uma introdução explicativa do porquê escolhi ♥Anne Hathaway ♥ como meu ícone de comportamento.

Assim como eu disse que acredito em tudo, eu também tenho uma fácil capacidade de desacreditar, sou de gêmeos, mudo de opinião fácil, não consigo evitar. Bom, voltando... lá no começo de 2010, Hathaway deu uma entrevista para a GQ onde disse que toda sua família havia abandonado o catolicismo depois de seu irmão ter se assumido homossexual. Na reportagem, ela disse que "A família inteira se converteu à Igreja Episcopal depois que o meu irmão mais velho se revelou. Como poderia apoiar uma organização que tem uma visão limitada do meu amado irmão?”. Alguns podem achar o comportamento um pouco drástico ou exagerado, mas eu não, eu achei foi é fofo! Quem não quer uma irmã/família que vai contra toda uma religião para apoiar quem você realmente é? Não contente em ser só fofa, ela, recentemente, ainda doou o dinheiro das fotos de seu casamento para algumas instituições, dentre elas, uma que apoia o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Eu só tenho uma coisa contra ela: o fato de ela não ter me escolhido como noivo.

por Amanda Prates – (todo dia 18) - veja os textos dela aqui
Citar UMA pessoa que inspira é crueldade. Até simples pessoas te inspiram de alguma forma, por mais insignificante que possa parecer aos olhos alheios. Muitas me são belos exemplos, e a cada dia surgem uma, duas, cada qual com sua característica própria. Nada mais justo do que citar a primeira pessoa que me inspirou de tal forma que julgo mais significativa: Arlette Pinheiro Esteves Torres, nome verdadeiro do maior ícone da dramaturgia brasileira e sinônimo de força, Fernanda Montenegro. Admiro-a pelo simples motivo de ser a mulher que ama as artes mais do que qualquer outra pessoa.

Mulher que fez-se exemplo pra mim quando a vi em, talvez, seu mais sublime trabalho, Central do Brasil. Capaz de se transformar de forma tão esplendorosa, mas que carrega um pouco de cada personagem vivida, e nunca aceitou o rótulo de “dama da dramaturgia”, pois acha “uma merda”. Influenciou-me e influencia ainda hoje na maneira como vejo as artes, em geral. Ela vive a arte, espalha arte e contamina com arte quem a vê nos palcos de um teatro, nas telas de um cinema, ou em grandiosos papéis nas novelas.

por Gabryel Previtale – (todo dia 24) - veja os textos dele aqui
Dentre muitas cantoras ou atrizes que eu agrego algo em minha vida, escolhi Elizabeth Grant ou como é mais conhecida, Lana Del Rey, como artista que me inspira e tenho como exemplo porque nela, como pessoa e artista, eu me vejo por completo, de um modo difícil de me visualizar em outras pessoas. Quero dizer que a beleza misturada com a voz forte e peculiar já bastava, entretanto ainda existe uma visão poético-melancólica que é colocada no seu jeito de se vestir/cantar/performar, é antiga e ultrapassada ao mesmo tempo é moderna e ousada. Não consigo achar uma definição de como a visão de mundo que esta mulher possui se a semelha á minha. Não digo ter ideias e convicções parecidas, mas o jeito que se expõe e externa tais ideias, criando seu próprio mundo onde cada coisa tem um significado, é de um modo tão sutil e agressivo que faz com que as pessoas que apreciam seu trabalho acabem entrando nessa realidade produzida, e acreditando em cada palavra e gesto como se o mundo dela fosse um mundo mais interessante que o nosso.

Não sei dizer também quais sentimentos suas musicas provocam, é um misto, é irônico e muito amável. Talvez ela mude a linha de comportamento e o gênero musical, mas hoje, ela é o ícone midiático que mais me identifico, tanto com personalidade psicológica, tímida; misteriosa; poética, dramática, confusa e autentica. Como em personalidade física (moda) o estilo inegável “retrô” é apaixonante, pelo menos pra mim é intrigante e muito bem tematizado. É admirável sua inteligência para as composições mesmo sendo filha de milionário não se deixou abater pelos estereótipos, domina muita bem a imagem que quer passar sempre com um ar nostálgico e pesado quando quer. É invejável essa sua insegurança-segura, a tal elegância trágica, sutileza e garbo, mas sem ser bobo, com fundo sentimental. Qualquer amante de literatura se apaixonaria fácil por suas canções, que nada mais são do que poesias em arranjos musicais, querendo transformar tudo em obra de arte.

0 comentários: