21 de nov de 2012

Moda X Sustentabilidade

(imagem 01)

por Isabela Bez
(TwitterTumblr)

Apesar de algumas marcas tentarem ao máximo ser ecologicamente corretas, há algumas que fazem o oposto. Uma delas é a Zara, e não é de hoje que ela vira notícia por conta disso. Um tempinho atrás, jornais e blogs ficaram repletos de notícias sobre como os trabalhadores responsáveis pela produção de peças de roupa da marca eram na verdade tratados como escravos, trabalhando mais de 12 horas por dia e não ganhando nem perto do que mereciam por isso. Foi um choque, já que a marca é tão famosa e apreciada internacionalmente, incluindo no Brasil.

Infelizmente, depois de um mês ninguém mais se lembrava disso. Mas essa semana eu recebi um e-mail do Greenpeace revelando outra “novidade”: as roupas produzidas na Zara contêm perigosas substâncias químicas, como eles mesmos relatam no e-mail. Essas substâncias podem danificar a pele, e também poluem o ambiente quando entram em contato com a água. Se a nova maneira de escravidão já não bastasse, será que com isso as pessoas finalmente abrirão seus olhos?

E não pensem que isso é um sacrifício necessário da moda: segundo o Greenpeace, grandes marcas como H&M e Marks and Spencer já se comprometeram a se desintoxicar, exceto pela Zara.

Em plena Ação de Graças, vamos tentar melhorar nossas vidas e as daquelas que não têm um trabalho digno, tudo graças à Zara. Entre aqui e participe da campanha para desintoxicar a Zara. E lembre-se: passe longe dessas vitrines toxicas. E se você ficar ainda mais interessado pelo assunto, entre aqui e veja quais outras grandes marcas produzem roupas prejudiciais à saúde.Tenho certeza que o Kaiser nos agradeceria por isso.

(imagem 02)

Isabela Bez escreve todos os dias 06 e 21.

1 comentários:

Hanna Estevam disse...

Uma situação revoltante, ainda mais quando pensamos que hoje, temos diversos formadores de opinião em moda e nenhum foi capaz de levantar a bandeira. Um bom exemplo, são as inumeras blogueiras surgem a cada dia, fazendo sucesso, divulgando essas marcas e elas, que poderiam ajudar nessa mudança, ficam caladas. Em troca de que? Jabá? E os demais estilistas, produtores, nada tem a declarar? Uma vergonha...