21 de mar de 2013

Review: The Americans, 01x08 – Mutually Assured Destruction

the-americans-season-1-episode-8-mutually-assured-destruction-keri-russell-600x328

por Caio Coletti
(TwitterTumblr)

ATENÇAO: esse review contem spoilers!

Semana após semana, The Americans mostra-se a melhor coisa na televisão americana na atualidade. Com o retorno do criador da série, Joe Weisberg, ao roteiro direto do episódio, “Mutually Assured Destruction” tem como missão nos lembrar de quem são esses personagens que conhecemos há oite semanas atrás, e exatamente porque as relações entre eles são tão complicadas. Depois do excelente “Duty and Honor”, que tocou no tema e na evolução da série de forma única, esse oitavo episódio da temporada devolve-nos a terreno familiar. E, no caso de The Americans, isso significa uma peça fora do comum de boa televisão.

É de quebrar corações a forma como o roteiro de Weisberg expõe o quão quebrada é a relação entre Elizabeth e Phillip e, não satisfeito com isso, o criador da série faz questão de montar um episódio que nos mostra a disfuncionalidade não só nesse, mas em muitos outros relacionamentos da série. Tome o exemplo do Agente Beeman e de sua informante e agora amante Nina: quando o chefe de Beeman lhes dá um lugar seguro para se encontrarem (obviamente sabendo, mas não querendo explicitar, o envolvimento romântico dos dois), este poderia ser o momento em que The Americans jogaria em terreno seguro e usaria o adultério do personagem como um escape para o seu casamento arruinado. No entanto, Weisberg injeta na relação Beeman-Nina a tensão definidora de que, em última instância, ele está usando-a (mesmo que, no processo, tenha começado a sentir de verdade por ela).

A porção de Beeman e Nina, ao menos dessa vez, é a parte menos empolgante do episódio. A tensão maior acontece entre Phillip e Elizabeth: tanto na trama da espionagem, em que eles tem que localizar um assassino contratado pela própria KGB (o comando soviético mudou de ideia sobre a missão dispensada ao moço), quanto no front familiar, com Elizabeth descobrindo através de Claudia (Margo Martindale está brilhante nessa série, se eu não pude explicitar isso antes) que Phillip mentiu para ela sobre ter se envolvido com a ex-namorada dos tempos soviéticos, que ele reencontrou em uma missão no episódio passado. Weisberg trata os Jennings com o mesmo processo com que trata Beeman e Nina: subverte o que parece estar muito bem e coloca as peças nos lugares certos.

Assistir a dois relacionamentos caírem em pedaços simplesmente por causa da verdade de suas naturezas é devastador. E é também uma peça brilhante de narrativa.

***** (4,5/5)

the-americans-season-1-episode-8-mutually-assured-destruction-600x427

Próximo The Americans: 01x10 – Safe House (03/04)

0 comentários: