24 de mar de 2013

Review: Cult, 01x05 – The Kiss

CULT

por Caio Coletti
(TwitterTumblr)

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

Cult não é diferente de nenhuma série no início de sua primeira temporada: tem problemas em se adaptar a própria linguagem e em saber o que o seu público quer (ainda mais em saber quem é o seu público). Uma das diferenças entre Cult e The Following, para citar um exemplo óbvio dessa mesma temporada, é que Cult genuinamente tenta desenvolver seus personagens para um propósito maior do que aquele exigido pela trama. Em uma série de televisão, muitas vezes, os personagens precisam ser maiores e melhores do que as storylines pelas quais eles passeiam a cada semana. São eles, e não as tramóias dos roteiristas, que fazem o espectador acompanhar a série em uma base regular.

“The Kiss”, quinto episódio de Cult, mostra que até agora a série tem feito um trabalho exemplar nesse terreno. A essa altura da série, arriscar um bottle episode (episódio em que os personagens se reúnem em um mesmo ambiente e, normalmente, em que grandes conflitos da trama são resolvidos ou mudam de direção) é uma jogada no mínimo ousada, e Cult o faz, se não tanto com graça e elegância, ao menos com muita eficiência. Nós estamos suficientemente familiarizados com esses personagens para nos sentirmos tão engajados no pequeno joguinho romântico de Jeff e Skye tanto quanto na procura dos dois por mais um dos “true believers”. Com apenas quatro episódios antecedendo esse, isso não é pouco.

A trama, então: Jeff descobre que Nate fez um amigo próximo durante a reabilitação (mais um fato da vida do irmão que Jeff não havia ficado sabendo). O moço, chamado Dustin, era fã de “Cult” (a série-dentro-da-série, lembrem-se) e vai comparecer a uma festa que a emissora está dando nas dependências dos estúdios para alguns fãs selecionados. Jeff entra na reunião (em que todos os convidados se vestem como os personagens principais da série, Billy e Kelly) como o acompanhante de Skye, e as coisas escalam a partir daí.

“The Kiss” tem todos os elementos de um bom episódio de série cult: a mistura da trama principal com o desenvolvimento do romance dos protagonistas, catalisado por um alucionógeno que uma colega de equipe com um parafuso a menos coloca no copo de Skye; a descoberta fundamental que leva adiante a mitologia da trama; o confinamento espaço-temporal em que as coisas parecem acontecer todas ao mesmo tempo. E Cult ainda tem um elenco de matar (destaque da noite: Alona Tal como Kelly/Marti) e uma boa ideia de onde quer chegar. Não são uns poucos desajustes que vão apagar isso.

**** (4/5)

CULT

Próximo Cult: 01x06 – The Good Fight (29/03/2013)

0 comentários: