4 de abr de 2013

Review: The Americans, 01x09 – Safe House

THE AMERICANS -- COMINT -- Episode 5 (Airs Wednesday, February 27, 10:00 pm e/p) -- Pictured:  Noah Emmerich as FBI Agent Stan Beeman -- CR: Craig Blankenhorn/FX

por Caio Coletti
(TwitterTumblr)

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

“Safe House” é um episódio atípico para The Americans: não dá prioridade igual para as duas subtramas que se desenrolam em sua narrativa, apresenta mais possibilidades na trama geral da série sem realmente resolver as que ficaram para trás, e tem um roteiro que parece um pouco indecido quanto as decisões de cena e diálogos. Mas essa é uma série que construiu um universo tão sólido em tão pouco tempo que, mesmo assim, esse nono episódio da temporada consegue ser uma peça perfeitamente boa de televisão.

O roteiro é de Joshua Brand, que escreveu o excepcional “Duty and Honor” há duas semanas e, sejamos justos, faz um trabalho mais do que decente em prestar homenagem ao Agente Amador de Maximiliano Hernandéz nesse último episódio em que veremos seu personagem em cena. A trama envolve Phillip dando de cara com o agente ao sair da casa de Martha, com quem o moço passou a noite (uma vez que ele e Elizabeth estão “apertando o botão de pause”, como o episódio deixa claro no começo), e acabando por esfaqueá-lo na barriga. Tendo informações de que o FBI está prestes a atingir um alvo da KGB para retaliar o assassinato de um cientista e dois agentes pelo hitman contratado do episódio passado, Phillip e Elizabeth resolvem tirar a informação de Amador.

A trama é mais interessante porque coloca o Agente Beeman do sempre brilhante Noah Emmerich no centro do palco. A atuação centrada e sóbria de Emmerich é parte essencial para o episódio se sustentar mesmo com as falhas do roteiro de Brand, que parece preguiçoso ao lidar com os meandros da trama de espionagem e por demais sereno no campo familiar, retratando as reações dos filhos do casal Jennings ao saber que Phillip vai passar um tempo fora de casa. Quando, numa das últimas cenas, o Agente Amador solta a sentença “não existe um botão de pause”, parece que The Americans está tentando justificar-se e fugir do fato de que a premissa da série simplesmente não funciona quando os paralelos entre a espionagem e a relação familiar são impossíveis de ser feitos, uma vez que no momento as tais relações familiares nem existem mais!

“Safe House” está em seu melhor, no entanto, nas duas ocasiões em que o Agente Beeman tem recordações de seu parceiro morto. O diretor Bill Johnson, que está na segunda semana seguida na série, mostra sensibilidade ao filmar as performances de Emmerich e, especialmente, a de Hernandéz. Ele sacia seus últimos momentos de tela assim como o Agente Amador saciaria a noite com uma garota escolhida em um bar. Uma pena que a ele seja dispensado o episódio mais fraco da temporada até agora.

**** (3,5/5) 

a_610x408

Próximo The Americans: 01x10 – Only You (10/04)

In Memoriam: Roger Ebert (*18/06/1942 + 04/04/2013)

0 comentários: