25 de abr de 2013

Review: The Americans, 01x12 – The Oath

a_560x375

por Caio Coletti
(@EcoCaio)

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

Que temporada excepcional The Americans esteve construindo durante essas últimas 12 semanas, e a que final espetacular essa trama está se dirigindo! Considerando que na próxima quarta-feira veremos o último episódio dessa primeira temporada da série, “The Oath” faz um trabalho brilhante em aumentar as expectativas e colocar todas as suas cartas em jogo, e ao mesmo tempo não perde o fio da meada daquilo que a fez ser excelente de verdade: a dimensão humana e a maquinação de personagens por vezes cruel e realista, que prova funcionar mesmo que fora do âmbito dos paralelos espionagem-casamento.

O tema que une as duas storylines principais do episódio dessa vez é a forma como, na mente humana, as palavras significam tanto que podem mudar o destino de uma relação ou de uma vida toda. A cena quebra-corações da semana acontece entre Phillip e Elizabeth, na saída do casamento dele com Martha (o moço a pediu em casamento para poder convencê-la a deixar uma escuta na sala do próprio chefe, o Agente Gaad, mas não dá para definir o quanto, a essa altura, Phillip realmente está envolvido por sua própria mentira): a personagem de Keri Russell se diz realmente comovida com a cerimônia, e pergunta-se se ele “acha que as coisas teriam sido diferentes se tivéssemos dito essas palavras”.

Russell, aliás, está em sua melhor forma aqui. Tanto nessa cena quanto no diálogo que tem com Paige na cozinha, dando conselhos à filha depois de ela ver Matthew, o filho do agente Beeman, interessado em outra garota. Sua Elizabeth, aqui, parece ter colocado todas as peças no lugar depois do desmoronamento nervoso do último episódio, e ainda tem os olhos blindados que eram sua característica. Mas há uma tristeza e uma gravidade em sua expressão, em sua linguagem corporal, que a faz trágica.

A outra sotyrline do episódio tem a Nina da ótima Annet Mahendru sendo introduzida por seu chefe, depois da promoção, a novos encargos, entre eles cuidar do Directorate S, do qual Phillip e Elizabeth fazem parte. Devido a importância das informações com as quais ela vai lidar, o chefe a obriga a declamar um juramento de fidelidade à pátria-mãe e, entre isso e suspeitar que Stan é o responsável pela morte de Vlad, a moça acaba confessando que é uma agente dupla, e pedindo para seu superior uma chance de se vingar daquele que a fez se tornar uma traidora. Enquanto isso, após a faxineira do episódio 2 (“The Clock”), em um acesso de culpa, confessar ao FBI o que foi obrigada a fazer, Stan está cada vez mais perto de descobrir que os vizinhos são agentes soviéticos.  Isso que é esquentar as coisas.

Ah, e claro, temos Margo Martindale jogando Pac-Man e se vestindo como a mãe de Clark/Phillip para o casamento. Por que Pac-Man? “I enjoy the maze part, and the eating-without-eating part. Pac-dots are calorie free”. E a atriz entrega essa fala como um monólogo de Shakespeare. I mean, o que mais se pode pedir de um episódio de TV?

***** (5/5)

Próximo The Americans: 01x13 – The Colonel (01/05) SEASON FINALE

0 comentários: