18 de abr de 2013

Review: Suburgatory, Season 2 Finale (02x21/02x22)

Suburgatory-Season-2-Finale-2013-Apocalypse-Meow02-550x366

por Caio Coletti
(TwitterTumblr)

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

A segunda temporada de Suburgatory foi marcada, não tenham dúvidas, por problemas de narrativa acentuados e repetitivos. Esse foi um ano de televisão que caminhou na tênue linha entre a contextualização e descontinuidade, a caracterização quase dramática de seus personagens e sua natureza mutável de componentes de uma comédia televisiva. Nessa dupla de episódios finais, é possível encarar “Apocalypse Meow” como um triunfo de narrativa da série, e “Stray Dogs” como um retorno ao que a definiu desde o começo: o tema da relação pais-e-filhos, suas dificuldades e mutabilidades particulares.

O finale em si, escrito pela Emily Kapnek que tem créditos de criação da série, se estrutura mais do que nunca como um drama de costumes agridoce com algumas pitadas de comédia. Depois de decidir se vingar de Dalia (e passar um episódio inteiro planejando essa vingança apenas para desaguar na inevitável – e sensacional – bitch fight entre as duas), Tessa é informada por George que ele e Dallas decidiram morar juntos. Suburgatory parece se lembrar, aqui, de que está lidando com personagens jovens o bastante para considerarem essa decisão de George como “um desrespeito aos sentimentos” de Tessa, uma vez que ela e Dalia jamais poderiam dividir um mesmo teto, na concepção da ruiva.

As consequencias desse detalhe repercutem tanto na narrativa quanto no tema do episódio: por exemplo, enquanto Tessa acaba saindo de casa por conta da briga com o pai (e indo morar no banheiro feminino da escola, uma vez que seus parentes preferem não acolhê-la), Lisa precisa contar para Sheila que não é mais virgem – ou vai ser obrigada a comparecer a uma espécie de “baile da pureza” promovido pela mãe. De certa forma, “Straw Dogs” é tanto um episódio sobre a relação pais-e-filhos quanto sobre um monte de personagens que não conseguem ver o que está bem a sua frente.

Tessa não consegue ver que sua briga mesquinha com Dalia é menor do que o próximo passo no relacionamento do pai; George não consegue ver que a filha tem idade e responsabilidade o bastante para tomar as próprias decisões (inclusive sair de casa), tal e qual Sheila não consegue ver que sua filha também está crescida o bastante para decidir por si mesma se compartilha dos ideais cristãos da mãe (e, portanto, se faz ou não sexo antes do casamento); e, por fim, Dallas é aquela que não consegue ver que sua queixa sobre o relacionamento com George, que os leva à separação, é mais baseada na própria insegurança do que em qualquer outra coisa (e é preciso dizer que Cheryl Hines está soberba na cena do término).

Suburgatory deixa os personagens e suas devidas storylines em lugares inesperados no final de sua temporada: Tessa encontra inesperadamente (ou nem tanto) com a mãe quando não consegue lugar para morar; George está sozinho na casa que comprou para agradar Dallas – ou nem tanto, dada a presença de um cachorro que ele encontra na rua e de Dalia, que este que vos fala não conseguiu decidir se estava sendo verdadeira ou não sobre realmente ter se apegar a George.

No entanto, se essa temporada sobre relacionamentos de Suburgatory nos ensina uma coisa, é isso: às vezes, você está usando a venda do próprio egoismo, e nem consegue perceber.

◘ “I know where you don’t eat lunch!” Tessa ameaça Dalia

◘ “George, I will not be distracted by your brewery” nós vamos sentir falta da interação constante entre Dallas e George

◘ “You’re right, I need to move on. No matter how painful, I need to learn to lick my own spoon”/ “Don’t nama-go just yet! Nama-stay for a second” Noah, nós te amamos ♥

O apelido de Dallas para Tessa quando esta está deprimida: T-Pain

◘ “Malik’s been buttering my bread since Presidents’ Day” Lisa, nos té amamos também ♥

***** (5/5)

n

Suburgatory está confirmado para uma terceira temporada!

2 comentários:

Manning, Peyton Manning disse...

Só eu que fiquei triste vendo esse último episódio?! =/

Ainda bem que vai ter uma terceira temporada! xD

Minorias disse...

espero que a terceira não demore tanto *-*