16 de mai de 2013

Cannes 2013: Dia 01 – Gatsby, Scarlett Johansson e The Bling Ring

DV1474985Na coletiva de imprensa de Gatsby, da esquerda para a direita: Tobey Maguire, Baz Luhrmann, Carey Mulligan e Leonardo DiCaprio

por Caio Coletti

O primeiro dia de Cannes 2013 teve de tudo: estreias aguardadíssimas, anúncios inesperados e até uma surpresa sul-americana. Mas tudo começou com O Grande Gatsby, é claro, exibido pela manhã antes mesmo da grande abertura do Festival, que ocorreu em grande estilo ontem (15) a noite. A recepção um pouco fria do público ao filme de Baz Luhrmann não casou muito com a estreia meteórica (US$ 50 milhões em um final de semana) do filme nos EUA.

O diretor, em entrevista ao site brasileiro UOL, reafirmou a relevância atual de seu filme: “O periódo moderno que conhecemos hoje começou nos anos 1920, que o livro retrata (…). Então, essa história do Gatsby poderia acontecer hoje. Wall Street ainda tem corrupção, está fora de controle e temos essas festas, a decadência”. Para DiCaprio, Gatsby é sobre “a tragédia desse americano em anos de opulência”. O filme estreia no dia 07 de Junho no Brasil.

DV1475180O júri de Cannes 2013, da esquerda para a direita: Lynne Ramsay, Ang Lee, Steven Spielberg, Nicole Kidman, Daniel Auteuil, Vidya Balan, Christoph Waltz, Maomi Kawasi e Christian Mungiu

A sempre diplomática coletiva de imprensa com o Juri da seleção oficial de Cannes não fugiu do script em 2013, embora abrilhantada pelo carisma de alguns de seus integrantes. O grande astro do ano, o presidente do juri, Steven Spielberg, comentou com franqueza e maturidade sobre ter concorrido apenas uma vez (com Louca Escapada, em 1974) a Palma de Ouro: “Isso é normal. Não podemos comparar maçãs com laranjas; filmes feitos para atrair o máximo possível de espectadores aos cinemas com filmes que mudam a sua maneira de ver a si mesmos, os outros, a vida”.

O diretor taiwanês Ang Lee e Spielberg trocaram elogios: “Eu o idolatro, o vejo como herói. Não sei como ele me vê”, disse o vencedor do Oscar por Brokeback Mountain. “Eu idolatro As Aventuras de Pi, portanto também idolatro você”, Spielberg retribuiu. O sempre charmoso Christoph Waltz, dono de dois Oscar de coadjuvante (Bastardos Inglórios e Django Livre), arrematou o clima do evento com uma comparação graciosa: “Uma boa psicanálise é a combinação entre um bom analista e um bom paciente. Da mesma maneira, seremos a combinação entre bons filmes com o nosso trabalho de juri. Terei a chance de discutir com essas oito pessoas maravilhosas, vindas de todo o mundo”.

Primeiro filme a ser exibido pela Seleção Oficial e, portanto, primeiro concorrente a Palma de Ouro visto pelo júri, Heli, filme mexicano, é o único representante latino-americano na disputa esse ano. Como Cannes não é Cannes sem um pouco de polêmica, a ultraviolência do diretor Amat Escalante, que já ganhou prêmio na mostra Un Certain Regard com Sangre, de 2005, dividiu opiniões. Houve jornalistas que deixaram a sala durante a exibição, especialmente após uma cena em que um animal de estimação é sufocado até a morte na frente de sua dona, uma criança. O diretor se defendeu: “Quando filmo esses atos de violência, não estou tentando impressionar, e sim traduzir a tristeza desses atos”.

127084355BG004_Dolce_GabbanScarlett Johansson em Cannes

Embora não participe de nenhum dos filmes em exibição nessa edição do Festival, Scarlett Johansson é sempre o centro das atenções por onde passa. Escalada para o novo filme de Jon Favreau, Chef, ao lado do próprio Robert Downey Jr com quem contracenou em Homem de Ferro 2 e Os Vingadores, a moça aproveitou todo o fuss da imprensa em Cannes para anunciar que, veja só, tem planos para estrear na direção em breve. E o projeto não carece de pedigree: trata-se da adaptação de Travessia de Verão, romance de Truman Capote publicado anos anos 90 sobre uma menina de classe alta na Nova York pós-Segunda Guerra. A única experiencia da ScarJo na direção é o custa These Vagabond Shoes, estrelado por Kevin Bacon, de 2009.

Emma-Watson-poses-during--001Emma Watson na mira dos fotógrafos na coletiva de The Bling Ring

As coletivas de imprensa da mostra Un Certain Regard poucas vezes são tão badaladas quanto a de The Bling Ring, novo filme de Sofia Coppola estrelado por Emma Watson. Assumindo o posto de uma das obras mais esperadas de todo o Festival, o filme jovem da filha de Francis Ford sobre uma gangue de garotas que rouba casa de celebridades teve gente ficando de fora da sessão graças a super-lotação. Graciosa como sempre, Miss Watson respondeu brilhantemente as perguntar sobre sua fase Harry Potter: “Essa fase já parece tão distante para mim, já se passaram três ou quatro anos. Mas ao mesmo tempo é tão presente ainda. Não quero fugir do meu passado, mas estou feliz de poder fazer novos papéis e trabalhar com gente nova”. Uma resposta elegantíssima.

A diretora Sofia Coppola, por sua vez, contou que quis narrar uma história simples e doce ao mesmo tempo que não deixou de lado a crítica a sociedade consumista e a obsessão dessas jovens pela fama: “A história toda aconteceu há dez anos, mas diz muito sobre a nossa cultura hoje. Los Angeles é o epicentro da cultura americana. Sempre me interessei por personagens que estão em busca da sua própria identidade, e de alguma forma perdem a inocência nessa busca”. The Bling Ring estreia dia 12 de Julho no Brasil.

0 comentários: