7 de jun de 2013

Review: Hannibal, 01x11 – Rôti

NUP_155073_0169.JPG

por Andreas Lieber

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

“Rôti” é, talvez, o episódio mais teatral e bem fotografado de Hannibal até agora. Como mostrado no anterior “Buffet Froid”, toda a paranóia de Will está sendo causada por uma encefalite muito bem escondida pelo Dr. Lecter. Pois bem, no décimo primeiro episódio a inflamação cerebral se agrava e temos um Will quase que na totalidade insano. Começando o episódio com um pesadelo novo – uma cena incrivelmente bem dirigida e fotografada de um iceberg se quebrando e então um tsunami engolindo Will na praia junto ao totem humano do nono episódio – chegamos ao cúmulo de Will ver na figuro do Dr. Abel Gideon o falecido Garret Jacob Hobbs.

E falando no Dr. Gideon, temos um episódio quase todo dele, se a atuação magnífica de Hugh Dancy não o tivesse obscurecido um pouco. Quando o primeiro arma um jeito de fugir de seu transporte logo após deixar claro que pretendia processar seu psiquiatra, Dr. Frederick Chilton, por induzir ideias de que ele seria o Chesapeake Ripper, temos um Dr. Gideon em conflito com sua própria personalidade, mas com a certeza de que matar seus antigos psiquiatras o ajudará a descobrí-la. E, como já citado em reviews anteriores, uma das coisas mais fascinantes em Hannibal é a capacidade do roteiro nunca esquecer seus personagens, como vemos na retomada de Hobbs aqui, e uma dica deixada pelo verdadeiro Chesapeak à Jack mais a frente no episódio.

Tendo matado o primeiro de seus psiquiatras, Abel sequestra o Dr. Chilton e “meio que” sequestra junto a jornalista Freddie Lounds para que ela escreva uma matéria sobre a morte e o ajude na cirurgia de Frederick, enquanto vemos a equipe forense de Jack as voltas com o corpo de outro psiquiatra morte. Dessa vez, uma dica do verdadeiro assassino: faltava-lhe um braço – referência a Miriam Lass –, informção direta para Jack sobre o local de esconderijo do Dr. Gideon, o observatório abandonado onde deixaram o braço decepado da trainée.

Enquanto temos um Will cada vez mais desestabilizado, vendo as coisas ao seu redor derreterem em água enquanto fica preso em quartos cheios de galhadas de cervos, queimando de febre ele dirige Dr. Gideon até a casa de Hannibal achando que está vendo, na verdade, Jacob Hobbs. Após o Dr. Lecter convencê-lo de que não há ninguém com ele e controlar a convulsão  média que ele estava tendo devido a infecção, Hannibal conta a Abel onde encontrar Alana Bloom, que também trabalhou com ele.

Terminando um episódio cheio de altos e baixos psicológicos com cenas gore na medida certa, temos Hannibal se encaminhando para o final da primeira temporada com um Will hospitalizado após atirar em Gideon, que estava a espreita de Alana em sua casa. Em momentos finais entre mais uma consulta da Dra. Du Marier, Hannibal diz que suas intenções com Will são de preocupação e amizade, embora ela ressalte que ele esteja, talvez, mais interessado na loucura do que no homem. Mais uma vez, é importante lembrar que em nenhum momento o Dr. Lecter assumiu ser o Chesapeak Ripper, embora ele tenha cometido alguns crimes em seu nome, sim. Com apenas dois episódios para o final, veremos quais segredos Hannibal ainda nos guarda. E ah, quanto ao nome do episódio: “rôti” nada mais é do qualquer prato assado, referência a refeição que Hannibal prepara para o Dr. Chilton no começo.

4,5/5(*****)

960212_567944553228319_2006940050_n

Próximo Hannibal: 01x12 – Relevés (13/06)

0 comentários: