29 de jul de 2013

Review: The Newsroom, 02x03 – Willie Pete

The-Newsroom-Season-2-Episode-3-Willie-Pete-1-550x366

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

Vamos dedicar algumas sentenças no início desse review para apreciar o brilhantismo de Emily Mortimer. A segunda temporada de The Newsroom tem dado a atriz britânica a oportunidade de mostrar o quanto a fundação emocional da série depende de sua personagem, e o quanto as críticas direcionadas à suposta misoginia de Aaron Sorkin são pobremente pensadas em boa parte dos momentos. Há uma cena em “Willie Pete” em que Mackenzie é provocada por Neal quanto a sua resistência em dar espaço no News Night aos protestos do Occupy Wall Street, e tudo se resume ao preço dos sapatos que a produtora usa. Quando Neal aponta isso para ela, Mackenzie dá a ele o que ele quer, dizendo: “Você tem que se provar agora. Você colocou os meus sapatos na história”. Esse é o tipo de diálogo que seria rechaçado pela crítica, se não fosse a entonação precisa de Mortimer. Como “Willie Pete” nos lembra não só aqui, as mulheres de The Newsroom podem pretender agir como agem porque esse é o estereótipo social que se tem delas, mas não há um homem no rol de personagens da série que possa impedí-las de pensar por si mesmas.

Como a descrição de cena aí em cima deixou claro, o episódio não deixa o ritmo diminuir nas histórias paralelas, e ganha pontos aqui a jornada de Jim no ônibus de campanha do candidato Romney. Enquanto Grace Gummer se mostra uma coadjuvante de valor para a série, Sorkin volta ao modo idealista e faz de Jim a pessoa que desperta em (alguns de) seus colegas de profissão a vontade de fazer jornalismo de verdade. Esse é outro ponto que provavelmente será criticado nos reviews desse episódio, em que Sorkin alegadamente está tomando a posição de superior e “ensinando” como fazer jornalismo. Não há qualquer outra resposta para esse tipo de crítica, se ela de fato existir, além dessa: eles estão bravos porque Sorkin está certo. A cobertura de uma campanha deveria, sim, ser um lugar para os jornalistas questionarem os planos do candidato, e não repetirem fielmente aquilo que lhes é regurgitado. O jornalismo precisa, sim, ser visto mais como uma Corte de Justiça. As perguntas incômodas precisam, sim, serem feitas.

“Willie Pete” é um episódio falho em alguns momentos, principalmente em lidar com o retorno de Reese Lansing à trama, pintando demais Will e Charlie como os “patetas da história” e praticamente restaurando a série ao seu status inicial depois do grande climax da temporada passada. Mas tem muitos mais acertos do que erros, fundando a trama pontual do episódio na relação de Will e Mac, o que dá excelentes momentos para Jeff Daniels e Emily Mortimer, e acertando na subtrama envolvendo Sloan e Don, o que parece dar um pouco de esperança para esse último no cenário maior da trama. A narrativa que envolve a temidíssima Operação Genoa esquenta e coloca os protagonistas, ainda com seis semanas antes do final, perto de concretizar a cobertura que levará, como ficamos sabendo no piloto da temporada, a algum erro colossal.

The Newsroom encontra o equilibrio entre sua própria identidade estabelecida no primeiro ano e sua recentemente descoberta desconfiança quanto ao resultado do trabalho de seus personagens.

***** (4,5/5)

The-Newsroom-Season-2-Episode-3-Willie-Pete-7-550x366

Próximo The Newsroom: 01x04 – Unintended Consequences (04/08)

Caio

0 comentários: