26 de jul de 2013

Review: Wilfred, 03x07 – Intuition

wilfred-intuition

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

“Intuition” é provavelmente o mais delirante episódio de televisão de 2013, e isso é tanto algo muito bom quanto algo muito ruim. A tentação é de perdoar os pecados destes 20 minutos de Wilfred em virtude de sua estrutura maior elegante e bem pensada, e da sensação de que tudo pode ser tanto real quanto imaginário (uma oposição que está no cerne mais profundo da série), mas essa sétima entrada da terceira temporada não escapa dos pecados de piadas fracas e a não-realização de todo seu potencial como episódio isolado.

Porque, veja bem, “Intuition” é sensacional no esquema maior da temporada: nós finalmente conhecemos o pai de Ryan, interpretado por James Remar (Dexter), e não há nada nas cenas dele nesse episódio que desminta a visão vilanesca que o protagonista tem do homem, ao mesmo tempo que não há nada que aponte definitivamente para essa direção. Com as linhas sendo cada vez mais apagadas em Wilfred, o real e o que se passa na mente perturbada de Ryan se tornam cada vez mais duvidoso, e é fácil ver onde isso vai levar no finale dessa temporada, daqui a seis semanas.

Como um episódio por si mesmo, no entanto, Wilfred paga um preço alto por sua própria importância, e utiliza uma subtrama fraca envolvendo o personagem-título para conduzir ao clímax. A série também ressuscita o velho e desgastado truque de fazer Ryan suspeitar das intenções de Wilfred. Há uma razão simples pela qual a série funciona melhor quando o protagonista passa incógnito pelo plano do seu alter-ego/melhor amigo: tudo o que Ryan percebe e sentencia, o espectador é levado a experienciar.

Ironicamente, é graças a essa mesma característica única que as brincadeiras conceituais de Wilfred funcionam tão bem. No que parece uma de suas epígrafes pré-episódio, a maior virtude da série é também, frequentemente, seu calcanhar de aquiles.

**** (3,5/5)

jellybeans

Próximo Wilfred: 03x08 – Perspective (01/08)

Caio

0 comentários: