27 de out de 2013

Lady Gaga entra no negócio da ópera espacial na ultrajante (e deliciosa) “Venus”

gagalady_033

por Caio Coletti

“Venus”, o ex-segundo single do ARTPOP, é como um filme de Ed Wood: a gente sabe que tem algo errado com ele, mas não dá pra não ficar preso para ver o que acontece depois. Como se trata de Lady Gaga, e não do melhor cineasta ruim de todos os tempos, é preciso dar algum crédito para ela e presumir que é tudo de propósito: a melodia quebrada, a produção esquizofrênica e o tema operístico espacial.

A canção co-produzida por Gaga e o jovem DJ Madeon (a gente não tá entendendo exatamente porque todo o fuss com o fato da cantora assinar a produção, uma vez que ela o faz com quase todas as músicas desde o Born This Way) tem a moça assumindo o papel de uma alienígena que se apaixona por um humano – ou algo assim. A sucessão de versos, refrões e ganchos é absolutamente ultrajante, mas é Gaga pulando do precipício do pop e de algum jeito fazendo tudo funcionar no caminho. Ou seja, já é uma das nossas preferidas do ARTPOP.

0 comentários: