28 de out de 2013

Porque Parks and Recreation está enfrentando a pior fase da sua trajetória?

NUP_139401_0137.jpg

E é aqui que eu me despeço de uma das minhas séries preferidas, pelo menos por enquanto.

Pensar no começo de Parks and Recreation e onde todos estão agora é até meio chocante. Personagens deram adeus, novos apareceram, personagens mudaram, casaram, cresceram, saíram do departamento, realizaram seus sonhos... tudo mudou, e é isso o que eu mais amo na série, ver o desenvolvimento daqueles indivíduos que aprendi a amar. Mas cinco temporadas se passaram, e não há série que não sofra com o desgaste. Leslie Knope, anteriormente funcionária de um departamento relativamente inútil do governo agora é vereadora. Ela já viveu muita coisa e aprendeu ainda mais, isso é fato. Entretanto, os roteiristas escolheram esquecer esse detalhe, fazendo com que seu melhor trunfo – uma protagonista que cresce junto com a trama – se torne a coisa mais irritante.

Não é de hoje que Leslie surta e precisa levar uma injeção de realidade de algum de seus amigos, porém já está se tornando exagero. O plot de resignação não tem futuro além de Knope sair do cargo, visto que a sociedade machista e estúpida de Pawnee não hesita em criticá-la a todo custo. É assim que a política funciona por lá, afinal. Ao invés de abraçar isso e mostrar por fim que entrar nesse meio não é fácil e que um cargo tão importante também tem seu lado sombrio, é visível o medo de levar a protagonista para o “fundo do poço”. Seria mesmo algo tão ruim? Mostrar Leslie dando a volta por cima mostraria a força da mulher que não vai desistir de ajudar a cidade que tanto ama mesmo que esta seja feita de idiotas. Seria triste, sim, e isso faria seu retorno ainda mais triunfal. A vontade que tenho é fazer os roteiristas assistirem as sátiras políticas de Armando Iannucci, que não se importa de (politicamente) cortar a cabeça de seus personagens, para que eles resolvam se jogar de vez no que tentam evitar.

Em suma, não aguento mais Leslie agindo como fazia na insípida primeira temporada e tendo Ron dizendo a coisa certa a se fazer. Lá uma vez na vida é aceitável e compreensível, mas não do jeito que está. Knope já passou por situações piores e não precisou disso. Ok, os acontecimentos atuais são estressantes, e esse seria mais um motivo pra que ela mantesse a calma e agisse de forma inteligente. E isso acaba bloqueando melhores tramas, tanto para a vereadora quanto para os outros personagens. Tudo isso acabou me irritando, então não vejo outra saída que não abandonar. Não definitivamente, mas até os roteiristas encontrarem um rumo suportável para uma das melhores séries no ar atualmente.

Não é porque Parks já não tenha tido episódios ruins e temporadas inferiores, é que escolho colocá-la na geladeira por um tempo para que meus sentimentos por ela não mudem drasticamente. Confio que a série voltará a encontrar seu bom caminho de novo. Confio sim.

P.S.: E tem que ter algo muito errado numa série pra nem Tatiana Maslany conseguir salvar, viu.

20131017-013915

Com a decisão da Sâmela de pausar a série, O Anagrama escolhe também parar a cobertura de Parks, uma vez que confiamos na opinião da nossa colunista e vamos esperar a série recuperar a boa forma. Até logo, Leslie Knope!

Samela

0 comentários: