8 de out de 2013

Review: Mom, 01x03 – A Small Nervous Meltdown and a Misplaced Fork

MOM

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

Now that’s what I’m talking about, Mom! Uma das coisas mais bacanas em acompanhar criticamente uma série estreante é observar as vezes em que os roteiristas e o elenco acertam o alvo perfeito logo no começo e fazem parecer que aquela história vai ser aproveitada da melhor forma que pode naquele formato. Pode ser que a série nunca mais alcance aquele nível de excelência atingido em determinados capítulos de sua fase inicial, mas é refrescante notar quando se estabelece, logo no começo, o exemplo a ser batido. Nesse espírito, “A Small Nervous Meltdown and a Misplaced Fork”  é tudo aquilo que Chuck Lorre e companhia precisam sempre tentar arquivar Mom.

Justin Long (Duro de Matar 4.0) faz participação especial bem afiada no humor constrangido como o novo interesse romântico de Christy, que depois de uma briga com o chefe/amante Gabriel resolve voltar à ativa. O episódio todo gira em torno desse passo significativo na vida da moça, e talvez por essa simplicidade de premissa, acaba muito mais focado e bem desenvolvido do que o da semana passada. Quando se tem apenas 20 minutos para estruturar uma história capaz de se sustentar razoavelmente bem sem o apoio da serialização, é preciso conter o número de subtramas e definir bem cedo o foco principal da narrativa.

A relação entre as três “mães” principais da trama (Christy, Bonnie e Violet) é trabalhada no roteiro de forma surpreendentemente sutil. Lorre e cia aparentemente não tem pressa em mostrar todas as suas cartas em relação a conexão entre essas três personagens. Esse terceiro episódio deixa o tema da maternidade descansar e aborda um outro ângulo da premissa que precisava ser adereçado, tirando como bônus uma boa dose de doçura no constrangido e divertido primeiro encontro entre Christy e o personagem de Long.

Muito bom também notar que a série não está disposta a largar seu ideário pouco propenso a pedir perdão pelas falhas de seus personagens: é ao mostrar a seu possível interesse romântico todos os seus problemas que Christy percebe que, independente deles, ela ainda é capaz de ser encantadora. A performance de Anna Faris, afiada no sarcasmo, ajuda esse desenvolvimento a fugir do pieguismo, e a química com Long existe de maneira bastante palpável. Equilibre tudo isso com a quieta relação de aceitação que Faris e a fabulosa Allison Janney tem em cena, e você tem o episódio de Mom ideal.

Oservações adicionais:

- “Unicorns, rainbows, you’re cheating on your wife!”

***** (4,5/5)

MOM

Próximo Mom: 01x04 – Loathing and Tube Socks (14/10)

Caio

0 comentários: