16 de out de 2013

Review: Mom, 01x04 – Loathing and Tube Socks

image-B86C_525D18B3

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

“Loathing and Tube Socks” é o mais perto que Mom chegou até agora de encontrar uma estrutura para definir o que podemos esperar de seus episódios. Como a maioria das sitcoms de Chuck Lorre, a série estrelada por Anna Faris, nas suas três primeiras semanas, criou tramas e storylines a partir de uma premissa básica, mas sem um modelo específico. Agora, o que descobrimos é que a vocação de Mom é para uma comédia de lições subvertidas, mais do que um retrato de um relacionamento familiar complicado ou um exame da questão da maternidade.

Durante os 20 minutos dessa semana, Christy parece estar vivendo um dia de cão: tem um sonho bizarro envolvendo Bonnie a deixando para trás numa revista da polícia; o filho Roscoe a informa que não tem roupas de baixo limpas para ir ao colégio, o que leva a um incidente hilário em uma loja; a filha Violet precisa de calças novas graças a gravidez, e não quer comprá-las com seu próprio dinheiro; e um cliente do restaurante insiste em pedí-la para sorrir. A abordagem de Mom em relação a cada um desses incidentes é perfeita, tomando lados sem parecer maniqueista, nem complicar demais o jogo moral (afinal, essa é uma comédia).

O foco em Christy significa menos tempo de tela para Allison Janney, mas isso não é uma perda quando Anna Faris entrega uma performance tão cativante. É gritante como a entrega da atriz ao papel faz maravilhas com um roteiro que, no final das contas, não faz muito esforço para fugir do formulaico em relação as piadas. Sua atuação também é carismática o bastante para que sintamos pena de Christy em relação ao seu dia de má sorte (ou mau humor). Por outro lado, a presença rareada de Janney faz seus momentos em tela ficarem ainda melhores, principalmente porque uma boa parte deles é ao lado de Faris, e a química entre as duas ainda é a melhor coisa de Mom.

No final do dia, a nossa heroína descobre que uma boa parte do inferno não está tanto nos outros, mas em nós mesmos. A lição de moral poderia ser piegas se não fosse torcida de modo tão divertido por Lorre e sua equipe de escritores, que insistem em colocar suas duas protagonistas como incorrigíveis. É refrescante ver personagens tentando lidar com os seus defeitos ao invés de mudá-los, e isso aparece em quase todas as relações da série, especialmente nas duas que são a chave da série: Christy e Bonnie/Christy e Violet. Enquanto essa premissa forte dominar todos os cantos da narrativa, Mom está segura para explorar sua premissa o quanto quiser.

Observações adicionais:

- “Of all of the things to yell at my mother for, I had to pick the one that didn’t happen”

- “Violet, you’re like seriously pregnant lately”, “Listen, Juno!”, “You’re a horrible woman” “And soon you’ll be one too!”. Eu sei que todo mundo ama quando Anna Faris e Allison Janney estão juntas, mas eu tenho que eleger essa cena entre Faris e Sadie Calvano como a melhor dessa semana.

- “I’m not having this conversation with you” “Then who is?”

- “And you wonder why I remember your name”. Eu espero que Mimi Kennedy se torne uma guest star recorrente nessa série!

- “Nope, I just retweeted and moved on”

**** (4/5)

MOM

Próximo Mom: 01x05 – Six Thousand Bootleg T-Shirts and a Prada Handbag (21/10)

Caio

0 comentários: