3 de out de 2013

Review: Person of Interest, 03x02 – Nothing to Hide

Person of Interest

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

Numa pequena notinha sobre a reestreia de The Good Wife no site de entretenimento AVClub.com, um autor desconhecido colocou uma ideia na minha cabeça: a CBS, maior rede de televisão aberta americana, estava lenta e silenciosamente se arrastando para fora da caixa categorizada cheia de clichês onde se meteu desde CSI, a do drama na forma de procedural. Essa semana, assistindo Person of Interest, logo nas primeiras cenas uma pergunta parecia piscar na tela: o que faz essa série diferente de todas as outras procedurals da emissora, e aliás, de toda a televisão aberta americana? “Nothing to Hide”, numa dessas coincidências felizes, foi mais do que capaz de me mostrar todas as pequenas respostas para essa pergunta.

Comecemos no campo conceitual, e nos atenhamos por um momento para analisar a premissa e o procedimento de Person: um ex-criminoso e ex-ex-CIA e um milionário misterioso que criou um sistema de vigilância mundial e se arrependeu dos resultados se juntam para eliminar pequenas ameaças detectadas por esse sistema, trabalhando nas margens da lei porque conseguem as informações necessárias para esse trabalho de forma clandestina, uma vez que a tal máquina está nas mãos do governo. No caminho de eliminar essas ameaças, Mr. Reese e Mr. Finch encontram conspiradores de todos os tipos, quadrilhas criminosas e agentes que agem solitários, explorando a humanidade de suas vítimas para realçar a desumanidade do mundo no século XXI.

Além da gritante inteligência dessa própria proposta, mais elaborada do que todo e qualquer procedural no ar atualmente, Person tem a seu favor a prerrogativa de olhar para a paranóia americana pós-11 de Setembro com uma claridade que falta, por exemplo, à Hostages. Aqui, a ameaça não vem de fora, paira sobre nós pobres vítimas, até finalmente atacar como um urubu carniceiro. O mundo de Person é cruel, perigoso e feio quando seres humanos se voltam contra eles mesmos, e deixam suas emoções mais primitivas regerem elaborações maquiavélicas falicitadas pela tecnologia. Ela não é a vilã, nós somos. E é um nós corajosamente generalizado, que inclui, sem pudores, até o estereótipo de mocinho americano.

“Nothing to Hide” é perfeito para observar isso porque introduz uma ameaça que provavelmente vai sombrear toda a terceira temporada do programa, e poucas coisas foram mais bem pensadas nesses três anos da série. O roteiro de Erik Mountain brinca com o truque de introduzir um personagem meio repulsivamente carismático (o ótimo – quando não exagerado – David Alan Basche), o tipo de vilão que Person tipicamente teria por um episódio, e torná-lo a vítima. Wayne Kruger, o personagem, é dono de um império virtual baseado em uma rede social usada para coletar e vender informações sobre seus usuários para empresas que fariam uso delas.

É claro que Person o pune por esse pecado imperdoável em seu mundo de privacidade e paranóia, mas o faz introduzindo uma espécie de “organização” (liderada por Leslie Odom Jr, alô fãs saudosos de Smash!) vingadora que quer passar uma mensagem a esse mundo. Em meio a um de seus episódios mais lindamente fotografados, Person afirma e pergunta ao mesmo tempo: não é possível, mesmo, lutar contra a tecnologia? Dá para contar nos dedos o número de procedurals que realizam um retrato tão contundente, ainda que fabulado, da atualidade.

Observações adicionais:

- Eu quase desdenhei junto com Mr. Finch ao ouvir o incauto guest star da semana perguntar: “Você precisa da minha senha?”.

- Não deu tempo de falar no corpo do review, mas Carter ganha um parceiro nesse episódio. Por mais interessante que seja a ideia, o programa ainda precisa dar mais destaque e desenvolver mais a relação entre os dois. Por enquanto, parece algo jogado ao vento para encher o episódio, por mais que seja divertido ver Taraji Henson tentando se ajustar ao posto de tutora.

- A cena inicial de Shaw seguindo Finch é mesmo maravilhosamente fotografada, o que é bom porque reciclar plot points não é o forte de Person.

***** (4,5/5)

EpPic3x02

Próximo Person of Interest: 03x03 – Lady Killer (08/10)

Caio

0 comentários: