9 de out de 2013

Review: Person of Interest, 03x03 – Lady Killer

1_zps72ae3f7a

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

É hora das moças brilharem e dos defensores do status quo serem os vilões em Person of Interest. Essa terceira entrada da temporada mantem as coisas se movendo e comprova que Person ainda não está pronta para mostrar seus filler-moves para o terceiro ano, com uma história isolada verdadeiramente envolvente, bom desenvolvimento de personagens e uma trama paralela, na falta de outro termo mais apropriado, deliciosa. “Lady Killer” é um título dúbio para um episódio que não o merece, mas é também estranhamente apropriado quando Person presenteia todas as suas atrizes com seus melhores materiais em muito tempo.

A trama principal envolve um possível serial killer interpretado por Warren Kole (conhecido dos fãs – eles existem? – de The Following), o que leva Carter, Shaw e Zoe a uma casa noturna servir como iscas para confirmar as suspeitas e neutralizar a ameaça. Como qualquer desculpa para o retorno de Paige Turco é muito bem-vinda, essa já seria muito provavelmente uma de nossas tramas preferidas da temporada, mas Person, como de costume, tem mais algumas cartas na manga: a história do personagem de Kole é em certo momento virada de cabeça para baixo para posicioná-lo como a vítima (embora os hábitos de stalker não sejam menos bizarros após sua explicação de que se trata de “pesquisa”) da família poderosa de uma ex-namorada, que foi obrigada a fazer um aborto quando engavidou do moço.

A condenação daqueles que protegem o status quo acima de valores como amor e paternidade é típica de Person. Menos usual é o tempo passado na tentativa de decifrar as personagens femininas, das quais até hoje apenas Carter tinha tido algum tempo de tela significativamente dramático. Aqui, a Shaw de Sarah Shahi ganha alguns diálogos bem reveladores, e isso parece ser para a atriz um respiro tão grande quanto é para o público. A iniciativa de tentar fazer de Shaw uma personagem de verdade, em oposição ao enorme estereótipo que havia sendo até agora, passa pela exploração de suas fraquezas e de suas forças, e cria um retrato bem contundente e preciso da moça.

Por fim, está de volta na trama paralela a Root de Amy Acker, e embora só essa pequena sentença já seja o bastante para declarar o quão bom é o episódio, “Lady Killer” consegue explorar a atuação fascinantemente desvairada de Acker em novas profundidades. Entra aqui uma dimensão de linguagem corporal e uma estranha relação entre a personagem e a máquina que venera como um Deus, tudo enquanto observamos Root escapar do manicômio onde estava internada, num dos setpieces de ação mais sensacionais (ainda que simples) da temporada.

Observações adicionais:

- Shaw: “Our guy just went from blue blood to hipster faster than you can say ‘ironic facial hair’”. Finch: “I don’t understand anything you just said”. Eu também nunca entendi os hipsters, Finch.

- As moças estão realmente deslumbrantes na cena em que se vestem de gala para o clube noturno, mas há que se dar crédito a elegância a toda prova de Paige Turco. Em um mundo ideal, ela seria presença ainda mais constante em Person.

- Não deu tempo de dizer, mas até que para um dissidente de The Following Warren Kole entregou uma ótima atuação para apoiar um ótimo personagem.

***** (4,5/5)

person-of-interest-lady-killer-taraji-p-henson

Próximo Person of Interest: 03x04 – Reasonable Doubt (15/10)

Caio

0 comentários: