14 de jan de 2014

Review: Mom, 01x13 – Hot Soup and Shingles

MOM

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

por Caio Coletti

Quando Mom começou, lá em Setembro passado, embora eu tenha gostado das linhas gerais do que Chuck Lorre tentava construir aqui, eu mesmo não poderia prever que estaria tão feliz com o retorno da série depois do holiday break. Até mais, que estaria aqui admitindo que senti falta dela durante essas semanas. Acontece que a série tem aos poucos se tornado uma das sitcoms mais eficientes, interessantes, engraçadas e bem desenvolvidas no ar atualmente. Não é fácil usar um formato que, apesar da recente popularidade, ainda é predominantemente analógico, e criar uma história que mereça ser contada dentro dele.

Mom é um retrato muito bacana das trivialidades da vida classe média-baixa americana, analisando como essas condições afetam os personagens e construindo para eles um mundo todo particular que fala muito alto em termos temáticos. No episódio de hoje, “Hot Soup and Shingles”, descobrimos que a necessidade de sobrevivência fez Christy se tornar uma pessoa que não aceita ajuda mesmo quando precisa. Essa premissa gera algumas boas piadas físicas quando a moça sofre lesões no tornozelo e no pulso, mas insiste em fazer tudo sozinha mesmo assim.

Uma das poucas concessões que ela faz, convenientemente, é chamar Baxter para vedar um buraco no telhado que está causando goteiras. A chegada do personagem do ótimo Matt Jones é desculpa para juntá-lo em cena com Luke, pai do filho de Violet, outro personagem (e ator) que estava merecendo mais espaço. As cenas entre os dois são ótimas porque brincam com uma química diferente da existente entre Anna Faris e Allison Janney, e também porque mostra que Mom está comprometida com seu tema de maternidade/paternidade nos dois lados da moeda.

A série aproveitou o retorno da holiday break para diversificar sua equipe de escritores (Hayley Mortison, estreante, é creditada junto com Chuck Lorre aqui) e se preparar para as temporadas longas que provavelmente tem pela frente. É um sinal maravilhoso que o primeiro passo em direção a isso tenha sido voltar a questão do jogo de ressentimentos e culpas entre Christy e Bonnie. Pungente e adorável, Mom é uma pequena preciosidade a ser descoberta no rol de comédias da televisão americana.

Observações adicionais:

- “I called the landlord over and over. Each time his English got worse”

- “Maybe you should get laid” “I did”

- “It’s a miracle you’re not driving a wheelchair with your tongue!”

- “Stop tucking me, I’m not a taco”

✮✮✮✮✮ (4,5/5)

104311_wb_0807b

Próximo Mom: 01x14 – Leather Cribs and a Medieval Rack (20/01)

0 comentários: