5 de fev de 2014

Review: Mom, 01x16 – Nietzsche and a Beer Run

ent_mom_clip_013014a_bqznv6ln_720x405

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

por Caio Coletti

“Nietzsche and a Beer Run”, no papel, tem tudo para ser um péssimo episódio de Mom. Como um fantasma do passado, a premissa desse episódio coloca novamente Christy com um interesse romântico, com o dilema do sexo falando alto e um guest star que não exatamente inspira a boas expectativas (Nick Zano, de 2 Broke Girls). Lembrar de alguns episódios do início da temporada em que Christy se envolvia romanticamente com o personagem de Justin Long também não ajudava – não foram momentos ruins, mas desde então Mom provou que pode ser muito melhor. A beleza das expectativas, no entanto, é que elas podem muito bem serem quebradas, e “Nietzsche and a Beer Run” é tão contundente para a série quanto os episódios anteriores, sobre o pai de Christy, foram.

A grande chave é que a equipe de roteiristas não se deixa repetir. O personagem de Zano tem características, e serve a propósitos, completamente diferentes do que o de Long. Se aquele arco servia para mostrar a importância que Christy dava a sua família e a trajetória que pretende seguir agora que se recuperou, essa nova premissa veio para sublinhar o quanto a protagonista da série se agarra a sua sobriedade (mas também o quão fácil é tentá-la a sair dela). Zano é o bombeiro David, que Christy conhece no restaurante. Embora os dois se conectem quase instantaneamente, tendo uma primeira noite selvagem, Christy percebe que David tem problemas com álcool e drogas, e sente que, se continuar vendo-o, as chances de desistir da sobriedade são grandes demais.

Durante o restante do episódio, Mom joga o jogo do julgar/não julgar, conviver/não conviver que tantas vezes está no centro de suas histórias. Esse coração permissivo e ao mesmo tempo rígido da série vem direto da dupla de protagonistas e de suas performances, e talvez por isso quando a trama faz bom proveito dessa dicotomia, as coisas funcionem tão bem. Tudo se resolve em um pequeno momento dramático entre Bonnie e Christy, e “Nietzsche and a Beer Run” mostra que Mom pode ser romântica sem fugir daquilo que a faz, fundamentalmente, diferente de tudo na televisão hoje em dia.

Observações adicionais:

- Os primeiros segmentos, passados no restaurante, fazem o melhor uso de French Stewart desde “Corned Beef and Handcuffs”. Esperamos que a série ressucite a trama do envolvimento dele com Bonnie logo!

- “Oh, hey. Hello. I’m not stealing lobster”

- “Waitress by day, detective by night!”

- Colocando Bonnie ganhando dinheiro como uma life-coach e tomando uma postura descrente em relação à filosofia (o personagem de Zano, além de bombeiro, tem um diploma no assunto – e nenhuma televisão em casa), Mom arquiva o que pode ser seu episódio mais cínico até o momento.

✮✮✮✮✮ (4,5/5)

104418_d0110b

Próximo Mom: 01x17 (24/02)

0 comentários: