15 de mai de 2014

The Blacklist 1x22: Berlin: Conclusion [SEASON FINALE]

the-blacklist-berlin-conclusion

Curta The Blacklist Brasil no Facebook!

ATENÇÂO: esse review contem spoilers!

por Caio Coletti

The Blacklist não é uma série perfeita. Sendo bem sincero, é um produto nato da televisão aberta americana, com todos os defeitos que vem com essa prerrogativa. “Berlin: Conclusion”, justamente por ser o season finale da trama, deixa muito expostas as fragilidades desse primeiro ano da série, ao mesmo tempo que mostra que esses erros podem ter sido acidentes de percurso no trabalho de roteiristas que, alternativamente, fazem um trabalho fabuloso. No final do dia, sejam quais forem seus problemas (o pouco desenvolvimento dos coadjuvantes é um ponto crítico), The Blacklist ainda tem uma ótima história para contar, e sabe muito bem como conta-la.

Assinado por quatro escritores essenciais para essa primeira temporada (o criador Jon Bokenkamp com o parceiro John Eisendrath, mais a dupla Lukas Reiter e J.R. Orci), “Berlin: Conclusion” é ótimo exatamente por não tentar amarrar todas as pontas e embrulhar a trama em um papel de presente encimado por um laço vermelho. É um finale mais do que apropriado para uma série que sempre tirou grande vantagem de saber o que e quando revelar, e o que e quando esconder. The Blacklist tem plena consciência de que, enquanto tiver segredos e mistérios entre seus personagens, terá também material para torna-los interessantes e coloca-los em conflito. E a série é exponencialmente mais empolgante com isso.

Durante o episódio acompanhamos os momentos intensos após a queda do avião que levou Berlin e vários outros criminosos para solo americano. Enquanto o FBI tenta capturar os últimos fugitivos e desvendar quem, nessa história toda, é o grande vilão pelo qual procuram, os agentes de Berlin começam uma caçada pelos membros da força-tarefa encarregada dos blacklisters. A primeira vítima desse jogo de gato e rato montado pelo episódio é a Agente Malik, que morre com pouco mais de dez minutos de episódio. A corrida dos dois lados desse embate é excitante, mas é preciso dizer que o pouco investimento de The Blacklist em seus personagens secundários faz o impacto do finale se diluir (a propósito, b’bye Parminder Nagra, we’ll miss you!).

Como de costume nos roteiros de Bokenkamp e Eisendrath, o material dispensado a James Spader e Megan Boone é excelente, e ambos se tornam ainda melhores quando estão contracenando (apesar de Spader ter momentos brilhantes ao lado de Alan Alda também). É impressionante a forma como as cenas entre Liz e Red, meros diálogos, podem ser a espinha dorsal de uma série essencialmente pulp, e essencialmente de ação, como The Blacklist. Num episódio que tem até história de origem para o grande vilão introduzido, numa das concepções mais kitsch e deliciosas do time de escritores da série, o coração de The Blacklist ainda está no lugar certo – e isso já é algo a mais que uma boa parte da programação da TV americana.

Observações adicionais:

- A agenda de The Blacklist para a próxima fall season inclui uma mudança de horário: a primeira metade da segunda temporada vai ao ar às segundas-feiras, como se costume, mas a segunda metade vai passar às terças.

✰✰✰✰ (4/5)

red-behind-bars

The Blacklist está confirmada para segunda temporada!

0 comentários: