2 de mai de 2014

Veep, 3x01-04: Some New Begginings/The Choice/Alicia/Clovis

158027

ATENÇÃO: esses reviews contem spoilers!

por Sâmela Silva

3x01 – Some New Begginings

Mal se passou um ano desde que uma bomba gigante foi jogada em Veep e descobrimos que Selina Meyer, atual vice-presidente dos Estados Unidos, teria uma chance de concorrer à presidência nas próximas eleições. Finalmente a oportunidade que a atrapalhada política almejava desde o começo acontece, terminando seu segundo ano com um certo tom de felicidade (diferente da season 1). É claro que nem tudo vai ser tão lindo e fácil nessa nova jornada, mas o primeiro episódio da terceira temporada preferiu seguir nos bons momentos e deleitar o espectador com desenvolvimento da história misturado com ótimas e simples sacadas.

Dois meses depois da season finale, onde POTUS decide não concorrer mais uma vez, Selina se encontra em uma sessão de autógrafos em Iowa, tentando encantar seus futuros eleitores. Mesmo sem seu time ao seu lado, ela consegue se virar e sorrir ao falar sobre seu livro – que foi escrito por Dan. Não é frequente ver a VP sem sua comitiva, e o episódio soube bem aproveitar isso: os momentos de tédio (incluindo uma hilária queda de Julia Louis-Dreyfus), as estranhas interações (principalmente com um político que revela preferir estar morto depois de sua campanha) e boas e bizarras cenas com Ben. O mais incrível de todo o episódio foi ver Selina fazendo decisões sozinha e sua convicção em si mesma crescer. Seu emocionante discurso no funeral de um político que ela nem ligava muito e que só compareceu para tentar conseguir um chefe de campanha mostrou que a nova Selina sabe falar em público, tem personalidade e se importa. Mais ou menos.

Já Dan, Amy, Gary e Sue passam o episódio no repentino casamento de Mike – que, outra surpresa, estava muito feliz. As melhores partes foram o desespero acerca de seus celulares, e a dificuldade que esses indivíduos tem de se desligar do trabalho por um momento sequer. Amy e seu esconderijo para o segundo aparelho e sua habilidade de digitar de costas foram simples sacadas que caíram muito bem, e seus diálogos com Dan só ficam mais bacanas, visto que a constante rivalidade entre os dois nos agracia com muitas frases boas. Gary também teve seu momento para brilhar ao agir da mesma forma que agia com Selina, só que com a noiva de Mike, sussurrando informações em seu ouvido e segurando sua bolsa. Claramente o trabalho para que foi feito, e Tony Hale nunca deixa de ser sensacional.

Como uma série de Armando Iannucci que se preze precisa de uma bomba detonando a cada episódio, dessa vez tivemos Jonah tomando as rédeas dos erros e ajudando Meyer sem querer, ao obrigar POTUS anunciar que não vai concorrer nas próximas eleições. A demissão do White House Wingman já entrou pro hall de melhores cenas da série inteira, e a felicidade de Dan e Mike com a notícia é impagável.

Ninguém do “team veep” cometeu uma gafe gigante pela primeira vez em bastante tempo. Seria esse um dos novos começos mencionados no título do episódio? Seja como for, essa temporada promete muita coisa – principalmente com a demissão de Jonah e o incerto futuro de Mike (será que Selina vai mandar o moço embora?). A VP agora acredita que não precisa de muito para conseguir sua candidatura e ignorou o pedido de Dan, exalando confiança em sua capacidade de falar em público. Muitas tretas ainda vão rolar, com certeza, e mal posso esperar para presenciá-las.

163368

3x02 – The Choice

Após a brilhante season premiere temos "The Choice", e nossa protagonista acaba levando um leve chute no estômago de sua recém-adquirida confiança em si mesma. O atual presidente, já não se importando com mais nada, acaba mudando suas ideias sobre aborto, o que acaba forçando Selina a decidir qual é a sua opinião pública sobre o assunto. Ainda apostando no desespero da veep e falta de individualidade que ela precisa enfrentar, a série mostra que os "novos começos" na verdade não são tão novos assim, visto que Meyer precisa ignorar suas próprias ideias em troca de uma imagem que vá atrair votos. O mais bacana do episódio foi Gary tentando ser útil de outras formas, já que não quer ficar carregando bolsas para sempre. Apesar de Amy estar apagada no começo dessa temporada, Dan está indo pelo ouro nas esperanças de se tornar o responsável pela campanha de Selina. Surtadíssimo, Egan não mede esforços pra se sobressair e está funcionando bem na história até aqui, se tornando um dos melhores personagens. E, contrariando o que pensava no primeiro episódio da season, a vice-presidente vai precisar de seu time se quiser retirar o vice de seu título.

3x03 – Alicia

Já "Alicia", sem dúvidas um dos melhores episódios da série e melhor da temporada até aqui, gira em torno do anúncio da candidatura de Selina. Talvez o maior indicador de que a puxação de saco e necessidade de engolir o orgulho estão muito presentes na jornada da VP, a terceira parte da season também mostra que Meyer não vai desistir sem uma briga. É interessante ver que ela não é uma Nicola Murray da vida (personagem de The Thick of It, também criação de Armando Iannucci), que não tinha a mínima noção do que estava fazendo e dependia demais de seu time para fazer o que o partido achava correto. Selina cede e até pode vender sua alma para conseguir o que quer, mas vai ser em seus termos e isso é sensacional. Tivemos também ótimas interações entre Catherine e sua mãe, com diálogos incríveis e um monólogo chocante por parte da filha da veep; a estranha aparição de Selina no Saturday Night Live e a humilhação de Mike foram memoráveis.

165698

3x04 – Clovis

E depois do melhor, temos o ponto fraco da temporada em “Clovis”. Em uma visita ao Vale do Silício, Selina acaba em outra uma sessão de necessária puxação de saco, dessa vez para um jovem empresário da internet. E só é fraco em comparação com os anteriores, diga-se de passagem. A usual acidez nos diálogos das séries de Iannucci parecem contidas, ignorando o que Veep faz melhor do que ninguém. Entretanto, Armando dirige, e o surto de Jonah provavelmente teve sua instrução, já que o escocês sabe como fazer seus personagens perderem a cabeça com maestria. Esse final conseguiu ser ainda mais engraçado do que o de “Some New Beginnings”, e resta saber o que Jonah Ryan fará em seguida.

Dan continua crescendo na trama com sua inteligência e mostrando que, apesar da certeza de Amy que ela comandará a campanha, é a melhor escolha que Selina pode fazer. Não bastou manipular Jonah, é claro, teve que acabar com o contrato do Ryantology com o Clovis no processo. Por continuar viajando com a veep, Amy não pode fazer muito além do costumeiro para provar seu valor, deixando o caminho livre para Dan. O que é estranho, porém, é Selina ainda não ter decidido mesmo após o anúncio da candidatura.

A trama poderia ter sido melhor usada, e a história das suspeitas de Selina sobre a sexualidade de Gary foi totalmente dispensável. Tony Hale continua sendo sensacional em tudo o que faz, porém, o desespero de seu personagem sendo ignorado por todos em sua volta é triste. Será que alguém vai perceber suas aflições em algum momento?

A única certeza sobre esse começo de temporada é que Veep e seu elenco continuam melhor do que nunca. O plot pode reutilizar recursos que já aproveitou antes, mas consegue fazê-lo tão bem que parece correto. Mais puxação de saco, trocas de favores e orgulho sendo engolido estão por vir, e tomara que seja no mesmo padrão incrível que a série vem firmando.

167962

Próximo Veep: 3x05 – Fishing (04/05)

0 comentários: