27 de jul de 2014

Wilfred 4x06: Patterns

10453111_792831994107065_8544341842775161968_n

ATENÇÂO: esse review contem spoilers!

por Caio Coletti

“A verdade está fora de todos os padrões definidos” (Bruce Lee, ator americano)

Vamos ser sinceros: Wilfred sempre foi um dos grandes “Patinhos Feios” do panteão da televisão americana. Mesmo que nessa era pós-pico de popularidade o meio televisivo esteja cheio de séries estranhas e muitíssimo particulares, existe em Wilfred uma vontade ferrenha de fugir dos padrões e do que é considerado uma narrativa exemplar – uma vontade que a separa de quase todas as suas companheiras de mídia. “Patterns” é, apropriadamente, o episódio que encara isso mais de frente, e também o que advoga mais contundentemente o quanto essa abordagem desafiadora pode ser triunfal. Há apenas 4 episódios do seu final, Wilfred ainda é capaz de jogar percepções de trama para baixo, mas a grande mágica é nos fazer descobrir o quanto essa reviravolta estava bem embaixo dos nossos narizes o tempo inteiro.

No espírito de fechar arcos de personagens, a série traz de volta Bruce, o parceiro de jogos mentais de Wilfred que marcou alguns dos melhores episódios das temporadas anteriores. No entanto, sai de cena o cantor de country e ator Dwight Yoakam (que atualmente pode ser visto em Under the Dome), e entra o “irmão-do-Alec”, William Baldwin. Não é só que Wilfred teve a audácia de trocar o intérprete de um dos coadjuvantes mais marcantes da série, e sem se preocupar nem um pouco com a semelhança física (“I did a cleanse”, justifica o novo Bruce) – é que além de ter rejuvenescido uns bons 20 anos, o personagem chega também com um espírito e uma função completamente diferentes.

O episódio mostra Ryan tendo que lidar com o reaparecimento desse velho “amigo”, que demanda um último jogo de desempate com Wilfred antes do personagem-título abandonar esse tipo de atividade a pedido do próprio Ryan, que continua lutando com a perspectiva de confiar no cachorro. Paralelamente, o nosso protagonista está muito perto de desvendar o mistério de quem estava chantageando seu pai por informações sobre o Flock of the Grey Shepherd. “Patterns” é mais um episódio que mostra que Wilfred é perfeitamente capaz de equilibrar mitologia com boas piadas (o roteiro dessa semana é escrito por Ted Travelstead, um humorista nova-iorquino conhecido por sua conta no Vine) e um desenvolvimento de personagem exemplar.

No final das contas, o episódio chega a uma conclusão emocional tão importante quanto os seus anteriores: assim como a Amanda de Allison Mack testemunhou tão comoventemente na semana passada, Ryan precisa se afastar de determinadas pessoas e determinados comportamentos caso queira verdadeiramente seguir em frente. É simples, sim, mas nas atuações de Elijah Wood e Fiona Gubbelman, que construíram uma intimidade muito vulnerável durante os últimos quatro anos, é também muito tocante. Como a maioria dos Patinhos Feios, Wilfred chega perto do seu final cada vez mais se parecendo com um belo cisne.

 Observações adicionais:

- “I will never understand money”

- William Baldwin e Julie Hagerty (a mocinha de Apertem os Cintos.. O Piloto Sumiu!) iluminam o episódio com performances absolutamente ridículas e afrontosamente deliciosas.

✰✰✰✰ (4/5)

wilfred_724

Próximo Wilfred: 4x07 – Responsibility (30/07)

0 comentários: