23 de set de 2014

The Blacklist 2x01: Lord Baltimore

THE BLACKLIST -- "Lord Baltimore" Episode 201 -- Pictured: (l-r) Krysten Ritter as Rowan, Megan Boone as Elizabeth Keen, Diego Klattenhoff as Donald Ressler -- (Photo by: Eric Liebowitz/NBC)
Curta The Blacklist Brasil no Facebook!

ATENÇÂO: esse review contem spoilers!

por Caio Coletti

Durante todo o seu primeiro ano, The Blacklist foi, para este que vos fala pelo menos, uma grande promessa. Em meio a roteiros meio atrapalhados e a uma miríade de problemas de caracterização de personagem que só foram percebidos e remendados com o passar dos 23 episódios que formaram o primeiro ano, a série sofreu com as dores de crescimento que boa parte dos produtos da TV aberta americana sofrem. “Lord Baltimore”, a estreia da segunda temporada, tenta com muito afinco nos dizer que o tempo de aprender passou, e que The Blacklist está pronta para se encontrar de maneira decisiva no seu elenco de protagonistas e coadjuvantes, na sua construção de trama e nas suas improbabilidades pulp. Essa première tem tudo o que se pode esperar de um episódio da série de Jon Bokenkamp, mas mostra maturidade na forma com a qual divide seu tempo de tela e elabora as jornadas de cada personagem para a perspectiva maior da temporada.

O vilão-título é um temido caçador de recompensas que rastreia a localização dos alvos através dos rastros que eles deixam no mundo digital. Red descobre de um ditador africano de meia tigela (?!) que o tal rastreador, Lord Baltimore, foi contratado por Berlin para encontrá-lo (ou será que não?). Num sinal de que The Blacklist não costuma desaprender lições, quem faz quase todo o trabalho de investigação dessa vez é o FBI, e eles chegam até a analista de segurança Rowan Mills (Krysten Ritter, yes!), que levanta a possibilidade de sua irmã gêmea, presumidamente morta, está por trás das tramoias de Lord Baltimore. O final dessa trama “da semana” é mais surpreendente do que pode se imaginar, mesmo que algumas das pistas seguidas por nossos heróis sejam pouco elaboradas em tela. A ótima atuação de Ritter, nossa eterna Chloe de Apartment 23, ajuda a vender a história de uma criminosa com transtorno de personalidade.

Os resultados das ações da personagem de Ritter são mais importantes do que o desfecho de sua trama, no entanto. Lord Baltimore guia o temido Berlin (Peter Stormare devorando o cenário em poucas e sensacionais cenas) para a ex-esposa de Red, que hoje vive sob proteção do FBI com o novo marido. A moça é interpretada por Mary-Louise Parker (ela mesma, a protagonista de Weeds), e leva jeito para personagem recorrente, uma vez que “Lord Baltimore” termina com ela nas mãos do que parece ser o grande vilão da temporada. A jornada de vingança de Berlin não é só a jogada mais pulp desse episódio de estreia, como serve também para desenhar uma linha narrativa grandiosa para a temporada, que agora só precisa manter o foco para não dar a impressão que está atirando para todos os lados, como a primeira.

O mais legal em “Lord Baltimore”, no entanto, é que em meio a esse monte de plot sobre tempo para dar aos personagens momentos de introspecção e um arco de revelação mais evidente. O Harold Cooper de Harry Lennix ganha sua jornada de recuperação física e psicológica, e o ator agradece por poder emprestar humanidade a um personagem que raramente ganhou os holofotes no primeiro ano. Até Diego Kattlenhoff, comprovadamente o ator menos competente da série, encontra o ponto certo de seu Ressler avesso à terapia indicada pelo FBI. Chega a ser redundante dizer, portanto, que Megan Boone e James Spader continuam a ser o coração da série, especialmente nas (raras) vezes em que estão juntos em cena. A dinâmica entre os dois ainda é o que The Blacklist tem que mais precioso, mas não é mais aquela luz no fim do túnel na qual tínhamos que nos agarrar para aguentar a viagem. Agora, há muitas outras vistas bacanas pelo caminho.

Observações adicionais:

- Mozhan Marnò, que foi vista em House of Cards esse ano, também dá pinta de personagem recorrente como a agente da Mossad que prende Red por alguns instantes durante o episódio. Vamos torcer para que a temporada dê continuidade à sua história, porque a moça é ótima atriz.

- “Life is too important a thing ever to talk seriously about”

✰✰✰✰✰ (4,5/5)

baltimore

Próximo The Blacklist: 2x02 – Monarch Douglas Bank (29/09)

0 comentários: