2 de out de 2014

Gotham 1x02: Selina Kyle

Heading

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

por Caio Coletti

Com a exceção do Coringa, no qual Gotham ainda não ousou tocar, a Mulher-Gato é provavelmente a vilã cujo tom é mais difícil de acertar para uma série que quer re-imaginar as origens do Batman. A relação complicada entre ela e Bruce Wayne, com seus subtons francamente sexuais e seu mútuo entendimento, precisa começar a ser construída com cuidado quando o retrato pintado pelos roteiristas inclui esses dois personagens ainda jovens, se transformando nas pessoas que viriam a ser. Em “Selina Kyle”, o segundo episódio de Gotham, o criador Bruno Heller assina mais um script que acerta em cheio nesse desenvolvimento, caminhando a passos vagarosos para uma direção bem planejada. Fazer as trajetórias de Bruce e Selina se cruzarem de maneira tão breve e colateral é a abordagem, perfeita para o início de uma relação que vai incluir tantas coisas em comum no futuro, ao menos de Gotham seguir com fidelidade aos quadrinhos.

Ajuda que a estreante Camren Bicondova traga uma leveza tão grande à personagem, ao mesmo tempo expressando toda a esperteza que é a marca registrada da (nem-tão-)vilã que nos é apresentada originalmente como uma ladra de jóias. A Selina de Gotham é uma criança de rua com habilidades de sobrevivência acima da média para a sua idade, um olhar vívido e perceptivo para o mundo, e uma noção aguda do seu lugar na estrutura social injusta da metrópole. Ter uma atriz que consegue expressar tudo isso em alguns olhares (lá se vai mais da metade do episódio até Selina ter uma linha de diálogo!) é essencial para que o episódio funcione – e como funciona.

“Selina Kyle” é mais afinado do que o piloto em quase todos o sentidos, embora alguns problemas persistam. Os diálogos melodramáticos que foram um incômodo na semana passada ocorrem com muito menos frequência aqui, embora o roteirista Heller não escape de alguns momentos em que a trama parece ser travada pela vontade insaciável de ser impactante no âmbito da encenação. A ambientação também tem seus altos e baixos: a abordagem fria (na fotografia, na direção) da violência nas cenas do Pinguim funciona às mil maravilhas, com Robin Lord Taylor criando um retrato inesquecível do personagem; já a fabulosa Fish Mooney de Jada Pinkett Smith ganha algumas cenas que não só parecem desnecessárias na condução da trama, como fazem um desserviço a atuação estourada (na medida certa) da moça.

A trama da semana envolve dois sequestradores de crianças de rua, interpretados por Lili Taylor (Hemlock Grove) e Frank Whaley (Pulp Fiction) em caracterizações bem típicas dos vilões de Gotham. Aparentemente trabalhando para um criminoso chamado The Dollmaker, os dois tropeçam no ímpeto do Detetive Gordon quando deixam para trás o corpo de um mendigo mais velho, veterano de guerra, que é encontrado pela polícia de Gotham. A partir daí o roteiro mais uma vez se incumbe de analisar os processos de corrupção que infestam a metrópole, entrelaçando essa trama com a apresentação aprofundada de Selina, a continuação das desventuras de Bruce em seu caminho para o amadurecimento (tudo tratado com muito mais sobriedade do que esse resumo faz parecer), e o rastro de sangue que o Pinguim deixa pelo caminho.

Com os talentos que tem a disposição, Gotham tem tudo para acertar suas últimas pontas e se tornar um dos procedurals (ou quase isso) mais empolgantes da televisão atualmente. Ben McKenzie continua sendo um centro sólido para que a série construa seu universo, e sempre que seu Detetive Gordon está em cena o espírito ultra-dramático parece mais justificado. Talvez ele esteja em uma frequência que alguns atores ao seu redor ainda precisam localizar, mas Gotham, ao menos, tem uma característica muito bem-vinda: é o produto e a elaboração inegável do seu protagonista.

✰✰✰✰✰ (4,5/5)

GOTHAM: Detective Gordon (Ben McKenzie) visits Wayne Manor in the "Selina Kyle" episode of GOTHAM airing Monday, Sept. 29 (8:00-9:00 PM ET/PT) on FOX. ©2014 Fox Broadcasting Co. Cr: Jessica Miglio/FOX

Próxima Gotham: 1x03 – The Balloonman (06/10)

0 comentários: