25 de jan de 2015

Gotham 1x12: What the Little Bird Told Him

GOTHAM: Detective James Gordon (Ben McKenzie, L) stands up to Commissioner Loeb in the "What The Little Bird Told Him" episode of GOTHAM airing Monday, Jan. 19 (8:00-9:00 PM ET/PT) on FOX. Also pictured: Donal Logue. ©2014 Fox Broadcasting Co. Cr: Jeff Neumann/FOX

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

por Caio Coletti

É um fenômeno mais do que bem documentado dessa última fall season: a televisão americana está se tornando uma história em quadrinhos em movimento. E não é porque vários personagens das HQs se transportaram para a telinha, mas também porque a equipe de roteiristas dessas séries optou por uma tradução bem fiel ao espírito dos quadrinhos – o resultado são produções televisivas que brincam com tendências iconoclastas, dramaticidade exagerada e personagens construídos com riqueza de detalhes visuais e narrativos, o que os transforma em caricaturas estranhamente críveis de seres humanos. Não só Gotham na FOX, como Constantine na NBC e The Flash na CW representam essa tendência, e a próxima temporada ainda vai trazer Daredevil para o Netflix.

Há quem argumente, é claro, que essas duas linguagens (televisão e quadrinhos) não devem se misturar, e é muito cômodo para qualquer crítico de televisão dizer isso. O que Gotham faz semana após semana se localiza corajosamente fora do espectro de qualidade que esses profissionais cuidadosamente construíram através dos anos da era de ouro da TV. É uma forma de contar histórias completamente diferente, que não pode ser julgada levando em conta o equilíbrio de gêneros que um bom thriller policial precisa arquivar – é uma história de origem, um procedural e um filme de máfia, tudo ao mesmo tempo. Com o diretor certo, ao assistir Gotham é quase possível se sentir folheando as páginas da última edição de alguma Detective Comics.

Eagle Egilsson, o diretor de “What the Little Bird Told Him”, é o cara certo para essa missão. Com formação de diretor de fotografia, o moço já assinou episódios de Once Upon a Time, CSI e Turn, entre muitos outros – para Gotham ele traz uma sensibilidade visual e uma maneira particular de encenação que pouco ou nenhum episódio da série teve até agora. O roteiro ágil e bem-amarrado de Ben Edlund (1x06, “Spirit Of the Goat” – review) ajuda, trazendo um dos “casos da semana” mais empolgantes e bem balanceados com a trama de mafiosos e a jornada pessoal do protagonista. “What the Little Bird Told Him” não tem muito tempo para lidar com algumas das storylines mais marginais de Gotham, o que inclui o jovem Bruce Wayne, ausente desse episódio, mas se dá muito bem fazendo malabarismos com os personagens que tem em mãos.

Nessa semana acompanhamos a caçada à Jack Gruber (Christopher Heyerdahl, mastigando cenários), o gênio eletricista transloucado que fugiu do Arkham no episódio anterior. Vendo a oportunidade de ser reintegrado como detetive, Gordon faz um acordo com o comissário de Gotham (Peter Scolari, o pai de Hannah em Girls): se eles capturarem Gruber em 24 horas, Jim terá o seu emprego de volta. Ao mesmo tempo vemos Fish Mooney finalmente decidindo atacar Falcone, armando o sequestro de Liza para convencê-lo a deixar Gotham City para trás – o problema é que o Pinguim tem uma carta na manga, e ainda quer vingança contra a ex-empregadora. “What the Little Bird Told Him” é uma cortante peça de personagem que concorda com tudo o que Gotham nos mostrou sobre eles até agora, e ainda aplica uma revolução nas políticas de poder da trama.

Notinhas adicionais:

  • Bbye, Makenzie Leigh! A atuação da moça, que além de linda é talentosa, não ganhou nota em nenhum dos nossos reviews, mas deveria. Sua presença de ingenue vai fazer falta no mundo sombrio da série.

✰✰✰✰✰ (4,5/5)

Gotham-ep112_scn43_19914_hires23

Próximo Gotham: 1x13 – Welcome Back, Jim Gordon (26/01)

0 comentários: