16 de abr de 2015

Gotham 1x19: Beasts of Prey

gotham-600x400

ATENÇÃO: esse review contem spoilers!

por Caio Coletti

De todos os 19 episódios que compõem até agora a temporada de estreia de Gotham, “Beasts of Prey” talvez seja o que melhor representa a natureza dos personagens que a série reuniu em seu elenco. Ao mesmo tempo, conforme a narrativa da temporada atinge um ponto crítico, com só três episódios restantes, o roteiro de Ken Woodruff (1x15, “The Scarecrow” – review) estrutura uma série de tramas que não atingem sua conclusão natural dentro do espaço confinado de 40 e tantos minutos de episódio, provavelmente porque ambicionam movimentar os acontecimentos dos momentos finais da temporada. “Beasts of Prey” é ao mesmo tempo um estudo perfeito de personagens e um episódio que “põe a mesa” e abre o jogo sobre o que Gotham está disposta a nos dar até o final desse primeiro ano. Essa combinação explosiva não ficaria bem em muitas séries, mas Gotham tem o espírito quadrinesco do seu material de origem para ajudar.

E a menção às HQs não vem de graça aqui, não: seja na multiplicidade de tramas e tons que consegue sustentar ou na direção iconoclasta de Eagle Egilsson (1x12, “What the Little Bird Told Him” – review), “Beasts of Prey” deve muito ao estilo narrativo das revistas em quadrinhos. De um lado, é um thriller de prisão com tons frios e toques bizarros, enquanto observamos Fish bolar seu plano de fuga da aterrorizante mansão do Dollmaker. De outro, uma história de caça ao serial killer filmada em tons luminosos e cheia de flashbacks, nos introduzindo ao vilão interpretado por Milo Ventimiglia (yes!), um assassino em série que é famoso por se vingar dos poucos policiais de Gotham que ousam investigar seus crimes. O caso do tal assassino, conhecido como The Ogre, chega a Gordon através do Comissário Loeb, que planejou se vingar do nosso protagonista pelos segredos desvelados no episódio anterior (lembram?) – a expressão furiosa de Bem McKenzie no final do episódio, quando descobre a tramoia, empolga mais para as últimas horas de Gotham do que qualquer outra coisa em “Beasts of Prey”.

Outras duas subtramas completam o pacote: a sombria detour de Bruce e Selina pelo submundo da metrópole em busca de Reggie, o traidor de esfaqueou Alfred dois episódios atrás; e a pequena saga do Pinguim em busca de um bom lugar para se vingar de Don Maroni. O mais bacana dessas duas tramas é como desenvolvem um pouco a narrativa da série – dando dicas e preparando o que está por vir – ao mesmo tempo em que exploram temas interessantes como a hesitação de Bruce ao matar Reggie (e a ação rápida de Selina no momento em que é preciso fazê-lo) e a importância que o personagem de Robin Lord Taylor dá aos símbolos de status e conexões emocionais dentro do mundo do crime, bem ao estilo O Poderoso Chefão. “Beasts of Prey” é um episódio bastante cínico em relação aos seus personagens, mostrando a forma como a maioria deles está o tempo todo espreitando para atacar os mais fracos ou mais fortes que eles. Alguns personagens simbólicos quebram ou invertem esse paradigma, mas eles são a exceção na Gotham City da produção da Fox.

Como a introdução do diabólico vilão interpretado com surpreendentes tons sombrios por Ventimiglia já adianta, aquele “algo podre” na metrópole mais famosa das HQs está muito mais presente em Gotham, a série, do que parece a primeira vista. Por mais que aposte no pulp, na abordagem visual estourada e nas atuações ultra-dramáticas, a trama do developer Bruno Heller entende muito bem a corrupção e a sujeira intrínsecas dessa cidade, e o efeito que ela tem nos homens que vivem nela.

✰✰✰✰ (4/5)

GOTHAM: Selina (Camren Bicondova, L)  and Bruce (David Mazouz, R) in the “Beasts of Prey” episode of GOTHAM airing Monday, April 13 (8:00-9:00 PM ET/PT) on FOX. ©2015 Fox Broadcasting Co. Cr: Jessica Miglio/FOX

Próximo Gotham: 1x20 – Under the Knife (20/04)

0 comentários: